Brasil e China lançarão outro satélite em 2014, diz ministro

Durante a construção do satélite lançado todas as peças foram feitas duplicadas, e agora todas as réplicas estão sendo enviadas à China para análise.

Brasil e China enviarão um novo satélite conjunto ao espaço em 2014 para substituir o que foi colocado em órbita no último dia 9 e que não alcançou seu objetivo por causa de um problema na fase de lançamento, anunciou nesta quarta-feira o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

Durante a construção do satélite lançado todas as peças foram feitas duplicadas, e agora todas as réplicas estão sendo enviadas à China para análise.

Segundo o ministro ainda não se decidiu se o novo equipamento será montado no Brasil ou naChina, apesar de ter garantido que apesar do lançamento estar previsto para 2015, será antecipado para 2014.

O satélite construído em colaboração servirá para elaborar um mapa dos territórios e atividades agrícolas, também para observar o desmatamento e alterações na vegetação e na expansão urbana.

No lançamento no dia 9, feito da base chinesa de Taiyuan (no norte do país), aconteceu uma falha no funcionamento do veículo lançador durante o voo e o satélite não se posicionou na órbita prevista.

O satélite, quarto lançado conjuntamente pelos países, parte do Programa de Satélite Chinês-Brasileiro de Vigilância Remota (CBERS), custou ao Brasil R$ 160 milhões e era equipado com duas câmeras de última tecnologia desenvolvidas no Brasil e outras duas chinesas.

O CBERS é um projeto de cooperação especial que já existe há duas décadas. Foram desenvolvidos e lançados três satélites (CBERS-1, CBERS-2 e CBERS-2B). O CBERS-3 substituiria o CBERS-2, colocado em órbita em outubro de 2003 e que deixou de funcionar em 2010.