Bonecos de Steve Jobs são a nova batalha legal da Apple

Brinquedo chinês desmontável inspirado no ex-CEO falecido da empresa gerou um processo por direitos autorais

Los Angeles – A Apple, acérrima defensora de sua marca e produtos, exigiu que uma companhia chinesa desista de seus planos de vender um boneco de Steve Jobs, ao considerar que o brinquedo viola os ‘direitos autorais’ da empresa, publicou nesta quinta-feira a imprensa americana.

A notícia, que a Apple não confirma nem desmente, foi destacada inicialmente pelo diário britânico ‘The Telegraph’ e disseminada rapidamente por blogs americanos especializados em tecnologia.

Segundo essas informações, a Apple teria enviado um pedido de cessação das atividades ao fabricante chinês In Icons, que atualmente está produzindo um boneco de 12 centímetros de altura à imagem e semelhança de Jobs, falecido em 5 de outubro.

A empresa chinesa deve comercializar a partir de fevereiro o brinquedo por US$ 99,99 em caixas que imitam às da Apple e a capa da popular biografia de Jobs.

O executivo-chefe da In Icos, Tandy Cheung, assegurou em uma entrevista à emissora americana ‘ABC News’ que sua empresa continuará a produzir os bonecos de Steve Jobs mesmo com a resistência da Apple.

‘A Apple pode fazer o que quiser que eu não pararei. Já começamos a produção. Steve Jobs não é um ator, é só um famoso. Não há leis de direitos autorais para proteger pessoas normais. Steve Jobs não é um produto, portanto não acho que a Apple tenha direitos sobre ele’, indicou Cheung.