Big data é um dos novos verbetes de dicionário norte-americano

Segundo a versão online do livro, o termo é usado para se referir a “um acúmulo de dados que é grande e complexo demais'

A versão atualizada do tradicional dicionário norte-americano Merriam-Webster chegou nesta segunda-feira com 150 novos verbetes. E junto de auto-tune, selfie, hashtag, crowdfunding, unfriend e outras 144 expressões, está também big data.

Segundo a versão online do livro, o termo é usado para se referir a “um acúmulo de dados que é grande e complexo demais para ser processado por ferramentas tradicionais de gerenciamento”. É uma definição simples, mas ainda assim, precisa.

A inclusão do verbete no dicionário, junto de todos os outros mencionados, serve para mostrar ainda mais a influência que a tecnologia exerce sobre tudo atualmente – inclusive em uma publicação vinculada à respeitada Encyclopædia Britannica.

“Selfie e hashtag se referem às formas como nos comunicamos e compartilhamos como indivíduos”, explicou, em comunicado, o editor do dicionário Peter Sokolowski. “Já expressões como crowdfunding, gamificação e big data mostram que a internet mudou os negócios de forma profunda”.

De acordo com a publicação, o termo big data vem sendo usado desde 1980, pelo menos, o que é bem mais tempo do que “selfie”, que vem de 2002 – e já foi inclusive eleita palavra do ano pelo dicionário Oxford. Ou seja, de certa forma, já era hora de a expressão referente aos dados ser reconhecida também fora do círculo de TI.