Batalha pela marca iPad chega aos EUA

Taiwanesa Proview alega que aquisição do nome foi feita de forma fraudulenta

São Paulo – A taiwanesa Proview Tecnology, especializada na montagem de monitores, decidiu levar aos Estados Unidos sua batalha judicial pelo uso da marca iPad, originalmente de sua propriedade. De acordo com o site The Wall Street Journal, no dia 17 de fevereiro, a Proview entrou com uma ação contra a Apple no Tribunal Superior da Califórnia, na qual acusa a companhia criada por Steve Jobs de utilizar, de forma fraudulenta, a empresa britânica IP Application Development para adquirir os direitos de uso do nome em 2009.

De acordo com a publicação, um representante da IP Application Development teria entrado em contato por e-mail com a taiwanesa para discutir os termos de aquisição. A justificativa para a compra do nome “iPad” foi simples: a sigla seria uma abreviação do nome de sua empresa. Ao descobrir o verdadeiro destino da marca, o tablet da Apple, a Proview começou a mover uma série de ações com origem na China, que chegaram a barrar temporariamente as vendas do produto no país.

Na última terça-feira, o Tribunal de Xangai rejeitou a suspensão temporária na comercialização do produto, decretada em dezembro de 2011. Ma Dongxiao, advogado que representa a Proview, disse que a companhia não tinha uma resposta imediata para a decisão do tribunal. A porta-voz da Apple, Carolyn Wu, reiterou a posição de sua empresa, afirmando que a autora do processo está se recusando “a honrar o compromisso”.

O tribunal chinês também acatou um pedido da Apple para suspender os procedimentos relacionados a esse processo até um tribunal da província de Cantão julgar um recurso que também tem a ver com a disputa sobre o uso do nome iPad.