Banco quer que Google ‘desmande’ e-mail enviado por engano

A instituição não informou quantos clientes podem ser afetados no caso – se é que já não foram –, mas quer ajuda do Google para rastrear a informação

O grupo financeiro Goldman Sachs entrou na justiça dos EUA para pedir que o Google “desmande” um e-mail enviado por acidente. O acidente aconteceu em 23 de junho, quando um funcionário do banco encaminhou uma mensagem com dados confidenciais a um endereço errado – e a ordem da empresa visa evitar uma quebra de privacidade “massiva e desnecessária”, segundo a Reuters.

A instituição não informou quantos clientes podem ser afetados no caso – se é que já não foram –, mas quer ajuda do Google para rastrear a informação. E como há uma ordem judicial, os responsáveis pelo serviço de e-mail “parecem querer cooperar” para resolver a inusitada situação, disse o banco à agência de notícias.

O problema aconteceu quando uma colaboradora da companhia testava “mudanças nos processos internos do banco”, para deixá-los de acordo com as exigências de um órgão regulador. Mas quando ela foi enviar um relatório com dados de clientes para uma conta “gs.com” – do Goldman Sachs –, acabou por selecionar um endereço similar, mas do Gmail, provavelmente por força do hábito.

O banco até tentou contatar o receptor da mensagem, mas sem muito sucesso. Restou, então, recorrer ao Google, que até pode facilmente localizar e apagar um e-mail dentro de qualquer conta, de certa voltando no tempo como o Super-Homem. Mas apenas com uma ordem judicial, cujo pedido não tardou a aparecer na corte.

* Com informações da agência Reuters