BA e PI concentram contratações em leilão de energia

São Paulo - Os Estados da Bahia e do Piauí foram os principais vencedores do 5º Leilão de Energia de Reserva realizado nesta sexta-feira, 23. Juntos, os dois Estados...

São Paulo – Os Estados da Bahia e do Piauí foram os principais vencedores do 5º Leilão de Energia de Reserva realizado nesta sexta-feira, 23. Juntos, os dois Estados responderam por 42 dos 66 empreendimentos contratados no certame.

A Bahia, que também liderou o ranking dos projetos habilitados, com 123 empreendimentos, teve 28 projetos contratados. O Piauí, com 14 projetos contratados dentre 31 projetos habilitados, ficou em segundo no ranking. A principal decepção ficou com o Rio Grande do Sul, que teve apenas quatro projetos contratados. A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) havia habilitado 94 projetos gaúchos para o certame.

Levantamento divulgado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) mostra que também foram contratados sete projetos no Rio Grande do Norte, sete em Pernambuco e seis no Ceará. Não foram contratados projetos no Maranhão e na Paraíba, dois Estados que também possuíam empreendimentos habilitados.

Os projetos contratados na Bahia demandarão investimentos de R$ 2,11 bilhões, ou 38,6% dos desembolsos totais (R$ 5,45 bilhões) esperados nos empreendimentos vencedores do leilão realizado hoje. Os investimentos nas usinas eólicas a serem construídas no Piauí devem totalizar R$ 1,44 bilhão. “É importante destacar os projetos no Piauí e no interior da Bahia e lembrar que os parques eólicos têm se mostrado grande vetor em termos de desenvolvimento social”, disse o presidente da EPE, Mauricio Tolmasquim.

Potência

A potência instalada nos projetos contratados na Bahia somou 567 8 MW, ou 37,7% do total contratado, de 1.505 MW. Os projetos do Piauí têm potência instalada conjunta de 420 MW. Dessa forma, os dois Estados respondem juntos por 65,6% da potência contratada no leilão.

Quando considerado o volume contratado por Estado, Bahia e Piauí voltam a se destacar. Foram transacionados 42,8 milhões de MWh na Bahia e 36,5 milhões de MWh no Piauí. Juntos, os dois Estados responderam por 67% do volume contratado.

Além da participação no volume total negociado no leilão desta sexta-feira, os dois Estados também se destacaram em termos de preços oferecidos. O valor médio dos projetos eólicos contratados na Bahia ficou em R$ 107,04 por MWh, o mais baixo do País. A Bahia receberá o projeto considerado mais competitivo, do Consórcio EGP – Serra Azul, que ofertou energia a R$ 98,50 por MWh.

No Piauí, o preço médio foi de R$ 109,97 por MWh, o segundo mais baixo do País. O valor mais alto foi registrado em Pernambuco, com R$ 116,00 por MWh. O valor médio da energia contratada no certame ficou em R$ 110,51 por MWh, um deságio de 5,5% em relação ao preço teto estabelecido inicialmente, de R$ 117 por MWh.