Avidez por iPhone ressuscita mercado paralelo nos EUA

O iPhone 6 Plus tem tido uma demanda tão grande que a Apple está enfrentando problemas de estoque, abrindo espaço para vendas paralelas no país

São Francisco e Pequim – O anúncio do Craigslist é direto: “Eu tenho o que você está procurando: 10 iPhone 6 Plus novos na caixa!”.

O preço do telefone sem contrato era de apenas US$ 1.300, embora fosse possível fazer um preço melhor para uma compra por atacado, segundo o anúncio publicado nesta semana por alguém que dizia estar em San José, Califórnia. O preço é US$ 451 superior ao de um modelo similar, de 64 gigabytes, vendido pela Apple Inc.

“Você diz um local público na Baía Sul e eu te encontrarei a qualquer hora”, escreveu o autor da postagem, que não respondeu a um pedido de comentário. “Por favor, não demore mais de 5 minutos. APENAS DINHEIRO”.

O anúncio é um entre mais de 1.000 no Craigslist pelo iPhone 6 Plus na área da Baía de São Francisco. Em Nova York, em Chicago e em outras cidades dos EUA, centenas de outros anúncios também ofereciam o mais recente telefone de tamanho grande da Apple, que foi à venda no dia 19 de setembro em 10 países e desde então tem tido uma demanda tão grande que a empresa com sede em Cupertino, Califórnia, está enfrentando problemas de estoque.

Os anúncios mostram como os EUA se uniram à China e se tornaram um lugar onde o mercado paralelo de iPhones está bem vivo. Enquanto o mercado negro da China está prosperando porque os novos iPhones não estão disponíveis lá — a China não foi um dos países que receberam os aparelhos na semana passada –, o mercado paralelo dos EUA está sendo impulsionado por uma falta de estoque, com pessoas dispostas a pagar a mais pela oportunidade, disse Carl Howe, analista da 451 Research LLC.

Alguns americanos também estão comprando o produto para depois revendê-lo aos chineses interessados, disse ele.

Oportunidade de lucro

“Os estoques são limitados e algumas pessoas não querem perder tempo indo pessoalmente à loja”, disse Howe. “Além disso, o mercado negro de telefones na China cobra US$ 3.000 por um iPhone 6 Plus, então mesmo a US$ 1.000 os oportunistas conseguem ter lucro”.

A Apple disse nesta semana que vendeu mais de 10 milhões de iPhones, um recorde, no primeiro fim de semana em que suas duas novas versões chegaram às lojas.

Os modelos apresentam telas maiores, populares na China porque muitos consumidores usam smartphone em vez de laptop ou desktop. O iPhone 6 tem uma tela de 11,9 centímetros, enquanto o iPhone 6 Plus tem uma tela de 13,9 centímetros.

Nick Leahy, porta-voz da Apple, não respondeu a um pedido de comentário.

Pedidos do eBay

Em um sinal de como o mercado paralelo de iPhones nos EUA está prosperando, mais de 4.400 aparelhos iPhone 6 e 6 Plus foram vendidos no eBay Inc. de 20 de setembro até ontem por um preço médio de US$ 1.060, segundo análise da empresa de análises do mercado de comércio eletrônico Terapeak Inc. Ele está a caminho de superar as vendas de segunda mão do iPhone 5s e do 5c do ano passado, segundo a Terapeak.

Quem estiver disposto a vender seu iPhone para a China encontrará uma demanda voraz. Estima-se que 500.000 unidades dos novos iPhones já foram contrabandeados para a China, disse Jun Zhang, analista da Rosenblatt Securities Inc., por e-mail.

Nos EUA, nem todo mundo tem tido sucesso em aproveitar essa fome por iPhones. Nick Davis, 23, administrador de sistemas das proximidades de Houston, queria tirar vantagem da demanda no mercado paralelo quando pré-encomendou um iPhone 6 extra e colocou um anúncio no Craigslist oferecendo-o para venda.

“Não recebi nenhuma ligação”, disse ele. “Eu simplesmente o devolverei à Apple. Eu acho que as pessoas têm a sensação de que eles estão esgotados em toda parte, mas ninguém quer de fato gastar mil dólares”.