Autoridade nuclear japonesa critica erros em Fukushima

Autoridade de Regulação Nuclear (NRA) do Japão criticou nesta 'os erros rudimentares' dos técnicos da empresa responsável pela central nuclear de Fukushima

A Autoridade de Regulação Nuclear (NRA) do Japão criticou nesta sexta-feira (4) “os erros rudimentares” dos técnicos da empresa responsável pela central nuclear de Fukushima, depois que foram detectados dois vazamentos na última semana.

“Quero que implementem uma gestão adequada, mas isso significa que vocês terão que trazer funcionários de outras usinas nucleares” administradas pela Tokyo Electric Power (Tepco), assegurou hoje Katsuhiko Ikeda, presidente da NRA para seu colega da operadora nuclear, Naomi Hirose.

Além disso, Ikeda considerou que os recentes vazamentos de água contaminada ocorridos na usina, motivados principalmente por erros humanos, mostram uma “deterioração significativa” de sua capacidade para resolução dos problemas, segundo declarações divulgadas pela agência “Kyodo”.

Neste sentido, no início da semana a Tepco revelou informações sobre um vazamento de água com baixos níveis de radiação de um dos tanques contêineres que, aparentemente, transbordou depois que dois funcionários da central o utilizaram de maneira equivocada para armazenar água da chuva acumulada nas instalações.

Ontem a Tepco informou sobre outro vazamento de líquido com alta concentração de radiação, que vazou para o oceano após o posicionamento equivocado de outro tanque em um declive, o que causou o transbordamento de cerca de 430 litros.

Após receber as críticas do principal órgão nuclear japonês, o presidente da Tepco assegurou que pensa “dedicar todos os recursos da empresa” para resolver o grave problema do acúmulo e dos contínuos vazamentos de água contaminada na usina.

Segundo o governo, a central despeja diariamente perto de 300 toneladas diárias de água radioativa no mar, além dos vazamentos periódicos registrados em algum dos mil contêineres utilizados pela Tepco para armazenar o líquido.

A Tepco informou hoje que seu novo sistema para eliminar grande parte dos elementos radioativos de água voltou a ser interrompido por um problema, o segundo em apenas uma semana de testes.

Segundo especialistas, o correto funcionamento deste novo sistema deve contribuir de forma crucial para solucionar o grave problema, pois é capaz de processar e filtrar o líquido num ritmo superior ao do acúmulo de água.