Apple pede desculpas pelo desastre dos mapas no iPhone

Num ato incomum para uma empresa frequentemente descrita como arrogante, a Apple reconhece que seus mapas são ruins, e pede desculpas

São Paulo — Depois de nove dias sendo criticada e ridicularizada pelas inúmeras falhas em seu novo aplicativo de mapas, a Apple reconheceu o desastre. Numa carta aos usuários, o CEO Tim Cook pede desculpas e chega ao ponto de recomendar que as pessoas usem outros serviços de mapas, incluindo os das rivais Google, Nokia e Microsoft.  

 “Na Apple, nós nos esforçamos para fazer produtos de primeira categoria que proporcionem a melhor experiência possível aos nossos clientes. No lançamento do novo Mapas, na semana passada, nós não cumprimos esse compromisso. Sentimos muitíssimo pela frustração causada aos nossos clientes e estamos fazendo tudo que podemos para melhorar o Mapas”, escreveu Cook.

“Enquanto estamos aperfeiçoando o Mapas, você pode tentar alternativas baixando apps de mapas da App Store como Bing, MapQuest e Waze. Ou pode usar os mapas do Google ou da Nokia indo aos sites deles na web e criando um ícone na tela inicial para o web app deles”, sugere ele.

É uma atitude surpreendente numa empresa que, frequentemente, é descrita como arrogante. Também é uma mudança em relação à atitude de Steve Jobs, que jamais reconheceu as falhas no serviço online Mobile Me e nem na antena do iPhone 4, por exemplo. Mas Cook fez a coisa certa. Com o Mapas unanimemente reprovado, seria ridículo a Apple insistir em dizer que ele é “o serviço de mapas mais bonito e perfeito que existe”, como está escrito no site da empresa.