Apple na mira de protestos contra maus-tratos na China

Manifestantes querem que a Apple examine a situação dos trabalhadores de seus fornecedores e desenvolva estratégias para protegê-los

São Paulo – Grupos de manifestantes, reunidos através dos sites SumOfUs.org e Change.org estão planejando protestos globais em Apple Stores, informa a CNNMoney. O motivo seria recentes acusações de maus-tratos e más condições de trabalho enfrentadas pelos funcionários da Foxconn, maior fornecedora da Apple, na China.

A realização da manifestação acontece duas semanas depois que Mark Shields, ativista do Change.org que se descreve como “usuário da Apple”, colocou no ar petição que já conta com mais de 200 mil assinaturas. No documento, solicita-se que a empresa, liderada por Tim Cook, desenvolva estratégias de proteção aos trabalhadores que prestam serviço para a companhia.

Já na petição do SumOfUs.org, o grupo fala em “iPhone ético” e pede que Cook examine com cuidado as condições de trabalho dos funcionários de seus fornecedores.De acordo com as informações da CNNMoney, protestos são esperados para acontecer hoje em grandes lojas da Apple espalhadas por cidades como Nova York, São Francisco, Washington, Londres, Sidney e Bangalore. 

As condições de trabalhadores em fábricas chinesas, responsáveis pela produção de peças para praticamente todas as grandes companhias de tecnologia do planeta, não são nada novas. A Foxconn, inclusive, enfrenta há meses denúncias de maus-tratos e ameaças de suicídios coletivos por parte de seus funcionários.

Em janeiro deste ano, o New York Times publicou uma reportagem investigativa na qual expõe, em detalhes, a situação dos funcionários da Foxconn. Uma mulher ouvida pela equipe contou que ganha menos de um dólar por hora para fabricar os amados, e caríssimos, gadgets da Apple.