Apple apresenta 1º iPhone sem conector para fones de ouvido

Empresa anunciou também novos fones de ouvido sem fio, que custarão 159 dólares

São Paulo — Após meses de rumores, a Apple apresentou oficialmente o iPhone 7 e a sua versão maior, chamada iPhone 7 Plus. Os aparelhos são os primeiros da marca que não contam com conectores P2, utilizados para plugar fones de ouvido tradicionais.

Para ouvir músicas, os usuários precisarão utilizar os fones de ouvido que vêm na caixa dos novos iPhones. Eles são ligados ao conector de energia, chamado Lightning. Como opção, a Apple também oferecerá um adaptador para fones de ouvido comuns. Eles acompanham os smartphones na caixa.

A medida de design é similar à tomada pela Lenovo na criação do smartphone Android chamado Moto Z, que será lançado no Brasil ainda em setembro

Em termos visuais, o iPhone 7 não apresenta grandes mudanças, sendo a principal delas a eliminação do conector P2, junto à adição de uma nova cor preta às opções de modelos do produto.

(Divulgação/Apple)

A Apple aproveitou o fim do conector P2 em iPhones para anunciar sua nova linha de fones sem fio, chamados AirPods. Os produtos oferecem 5 horas de reprodução de áudio e, assim como IconX, da Samsung, têm uma caixinha que tem uma bateria portátil embutida e pode ser usada para recarregar os fones. Com isso, no total, os AirPods oferecem 24 horas de reprodução sonora com uma única carga. O preço sugerido é de 159 dólares.

No Brasil, os AirPods custarão 1.399 reais.

Divulgação/Apple

AirPods: fones de ouvido sem fio da Apple chegam neste ano ao mercado americano ( (Divulgação/Apple) )

Em vez de desaparecer, o botão home ganhou uma função de toque mais profundo, como acontece nos MacBooks, na tecnologia chamada Force Touch. Novas funcionalidades poderão ser configuradas por aplicativos ao componente.

O corpo do smartphone agora conta com proteção contra poeira e água segundo a certificação IP67. Isso significa que o produto suporta ser megulhado a uma profundidade de até 1 metro ao longo de 30 minutos.

Os novos iPhones vêm com memórias internas de 32 GB, 128 GB ou 256 GB, corrigindo um dos problemas mais irritantes do smartphone: a falta de espaço de armazenamento, que já foi até mesmo arma do Google para promover seu app de armazenamento de fotos na nuvem.

Os aparelhos contam com câmeras de 12 MP e 7 MP. A câmera principal, de seis elementos, utiliza um novo processador de imagens, que usa machine learning para registrar a cena com a melhor qualidade, foco e iluminação possível. São 100 bilhões de operações matemáticas realizadas em 25 milissegundos no momento em que o usuário bate uma foto com o iPhone 7. Tudo isso acontece com o único objetivo de tirar boas fotos.  

Divulgação/Apple

AirPods: fones de ouvido sem fio da Apple chegam neste ano ao mercado americano ( ( (Divulgação/Apple) ) )

Um novo tipo de flash, chamado Quad-LED True Tone, promete melhorar a qualidade das cores das imagens feitas em cenários com pouca iluminação. Esse flash utiliza 50% mais luz do que o da geração passada do iPhone.

A câmera principal do iPhone 7 Plus merece um pouco mais de atenção. Ela é parecida com a apresentada pela LG, no smartphone G5, ou seja, ela é dupla. São dois sensores de 12 MP que podem ser usados para capturar imagens com zoom sem perda de qualidade. A Apple demonstrou bons resultados com esse novo hardware do iPhone 7 Plus com zoom de até 2 vezes. 

A usabilidade da câmera dupla é simples. O usuário pode simplesmente aplicar o zoom na imagem como faz em qualquer câmera ou tocar em um novo botão que aparece perto do botão de captura fotográfica.

Essa nova câmera dupla poderá também capturar as fotos vivas, que existem no iPhone desde o lançamento do modelo 6s, no ano passado. No iOS 10, novo sistema móvel do smartphone (que será disponibilizado para download em 13 de setembro), será possível editar essas imagens que se movem. Além disso, a Apple aproveitou a apresentação dos iPhones de hoje para falar que as fotos vivas poderão ser convertidas em vídeos do Boomerange, um app do Instagram para vídeos curtos.

Os iPhones 7 contam com o processador A10 Fusion, que oferece desempenho 120 vezes melhor do que a do iPhone original, de 2007. Ele utiliza um sistema de escolha de núcleos de alta ou baixa performance para economizar bateria em momentos de repouso e para não deixar o usuário na mão quando for a hora de usar aplicativos que exigem mais do smartphone, como jogos.

Os novos iPhones chegam ao mercado americano a partir de 16 de setembro, com preços que começam em 649 dólares. O Brasil não consta na lista de países prioritários para o lançamento do produto.

Confira o vídeo de apresentação dos iPhones 7 e 7 Plus a seguir.