App da Cabify terá botão de pânico após estupro e morte no México

Jovem de 19 anos ficou desaparecida após viagem com motorista parceiro do aplicativo e foi encontrada morta

São Paulo – O aplicativo da Cabify, empresa espanhola rival do Uber, anunciou que terá um botão de pânico no México após a suspeita de uma passageira de 19 anos ter sido estuprada e morta por um motorista parceiro da companhia.

O botão do pânico no app estará ligado aos sistemas de emergência das autoridades e permitirá que os passageiros peçam socorro durante uma corrida, se for constatado um comportamento ameaçador dos condutores.

Mara Castilla foi assassinada em 8 de setembro e a sua morte motivou a delação de mais casos de assédios por parte de motoristas parceiros de aplicativos como Cabify e Uber. Assim como aqui, a Cabify exige antecedentes criminais dos motoristas que querem participar da sua plataforma no México. Preso, o condutor, único suspeito do feminicídio, já tinha histórico de roubo de gasolina, de acordo com o El País.

No Brasil, recentemente o caso da escritora Clara Averbuck ganhou notoriedade. Ela afirma que um motorista do Uber se aproveitou do seu estado de embriaguez para molestá-la.

EXAME.com contatou a Cabify para verificar se o botão do pânico tem previsão de ser incluído no app e integrado às autoridades brasileiras. Se houver resposta, a matéria será atualizada.