Aplicativo Super Mario Run fatura US$ 60 milhões

Jogo foi anunciado em 2016 e tem versões para Android e iPhone por R$ 32,90

São Paulo – Por muitos anos, os fãs da Nintendo esperaram por um jogo do encanador mais famoso dos games. Em 2016, durante uma conferência da Apple, o mundo finalmente viu o ingresso da Nintendo nos games para smartphones com o título Super Mario Run. Feito para ser jogado com apenas uma das mãos, o aplicativo é gratuito, mas somente nas primeiras fases. O acesso ao jogo completo custa 32,90 reais e ele tem versões para Android e iPhone.

Por conta disso, dados da consultoria SensorTower, divulgados pela Variety, mostram que Super Mario Run teve faturamento de 60 milhões de dólares desde que foi lançado.

Ao chegar primeiro para iPhone, a parcela maior do valor veio da App Store, que ficou com 77%, contra 23% da Play Store, a loja oficial do sistema Android, do Google.

Desde que foi lançado, o jogo contou com promoções esporádicas que derrubaram o seu preço pela metade. Vale notar que, no caso do Android, usuários podem comprar apps com créditos obtidos por meio de pesquisas respondidas no app Google Rewards, o que faria o jogo sair de graça ou mais barato, dependendo do valor acumulado nessa bonificação.

A maior parte do faturamento de Super Mario Run veio do maior mercado de iPhones do mundo, os Estados Unidos. 43% do valor veio dos americanos, enquanto o Japão, terra natal de Mario (e da Nintendo) ficou com 17% do faturamento.

Em um cenário com cada vez mais jogos grátis com recursos adicionais que precisam ser comprados, Super Mario Run demonstra que os apps de download único ainda podem ter boa performance–ainda que a fama e a nostalgia de Mario tenham pesado a favor da Nintendo na sua estratégia.

Pokémon Quest

O game Pokémon Quest, lançado no mês passado, atingiu 3,5 milhões de downloads na sua primeira semana, de acordo com a SensorTower. Grátis para começar, o jogo também requer compras e, por isso, somou 3 milhões de dólares que foram pagos por jogadores no mesmo período. A maioria dos jogadores usa iPhones (56%), o que reforça a declaração da Apple de que os iPhones foram a maior plataforma mobile do mundo para jogos.

Veja também