Google anuncia Nexus 7 e Android Jelly Bean no Google I/O

Veja a cobertura completa da sessão de abertura do Google I/O, onde foram revelados o tablet Nexus 7 e o novo Android 4.1 Jelly Bean

15:50 A apresentação inicial do evento Google I/O termina em São Francisco, na Califórnia. Vejamos um resumo das novidades apresentadas pelo Google:

Tablet Nexus 7 — O tablet, fabricado pela Asus, tem tela de 7 polegadas. O Google começa a entregá-lo em julho nos Estados Unidos e em outros países (mas o Brasil não está entre eles). O preço começa em 199 dólares.

Óculos de realidade aumentada — O Google começa a aceitar encomendas para seus óculos high tech, capazes de filmar, fotografar e se comunicar pela internet. Por enquanto, serão vendidos apenas a desenvolvedores que estão participando do Google I/O. Vão custar 1.500 dólares.

Android 4.1 Jelly Bean — A nova versão do sistema operacional móvel do Google traz melhoramentos em desempenho e no sistema de notificações e permite que aplicativos sejam vistos em janelas, ocupando apenas parte da tela.

Nexus Q — O player de mídia do Google é similar à Apple TV, mas tem o formato de uma bola. Ele tem acesso à internet e pode baixar conteúdo diretamente da loja online Google Play. Roda Android e pode trabalhar conectado a caixas acústicas e a um televisor.

Eventos do Google+ — O novo recurso da rede social do Google permite convidar pessoas para um evento e agregar fotos feitas por elas. Assim, fotos de vários autores podem ser vistas num mesmo lugar. Funciona integrado ao Google Calendário.

15:45 Hugo Barra diz que todas pessoas presentes no evento vão ganhar um smartphone Galaxy Nexus e um tablet Nexus 7. O público vai ao delírio, é claro. Todos vão ganhar também o novo player de mídia Nexus Q. Agora sim, o público delira. Gundotra se despede e encerra a apresentação. Um vídeo mostra os óculos do Google em ação. Mostra três paraquedistas saltando de um helicóptero com os óculos. 

15:40 Sergei Brin se despede e sai do palco. Volta Vic Gundrota. Ele cita Larry Page (ausente dessa apresentação, assim como Eric Schmidt): “Temos um notório desrespeito pelo impossível”. Um vídeo mostra o recurso de Eventos do Google Plus. O exemplo, agora, é um grupo de amigos que se reúnem para velejar. Gundrota diz que o Google+ Events será aberto oficialmente com o convite para uma festa hoje à noite no Google I/O. As pessoas presentes devem baixar o Google+ no Android e se inscrever. 

15:35 Brin define os óculos do Google como computadores “usáveis”. São peças de vestuário que possuem poder computacional e conexões de dados. Brin diz que os óculos ainda estão em desenvolvimeno. “Todos os dias, temos ideias novas que queremos incorporar”, diz. Ainda assim, o Google vai começar a aceitar encomendas de desenvolvedores — não de consumidores. Só quem foi ao Google I/O pode encomendar os óculos. Vão custar 1.500 dólares e começam a ser entregues no início de 2013. A versão que será vendida chama-se Explorer Edition.

15:30 Esses engenheiros do Project Glass não são muito bons palestrantes. Deviam trazer Sergei Brin de volta. Eles continuam falando sobre a vantagem de ter uma câmera sempre presente na face, conectada via internet a redes sociais e outros sistemas… Quantas pessoas vão andar com um óculos desses? Acho que não muitas. Parece mais algo para ser usado em situações específicas. Mas as possibilidades futuras são muito interessantes. Óculos assim podem tomar o lugar do GPS e de outros instrumentos em certas situações.E, finalmente, temos Sergey Brin de volta. 


15:25 “Se estes óculos não forem ridiculamente leves, não vão combinar com seu rosto”, diz ela. A apresentação vinha bem, e atingiu um ritmo emocionante com a demonstração de paraquedismo, rapel e ciclismo. Agora, está meio devagar. Ela fala do design dos óculos high tech do Google. Volta o primeiro engenheiro que falou sobre os óculos. As fotos mostram que o Google está experimentando vários desenhos diferentes. Ainda estão na fase de protótipo. 

15:20 O paraquedista também sobe ao palco, assim como a turma do rapel. Sergey Brin, cofundador do Google, cumprimenta todos. Outro engenheiro do Google, também usando óculos de realidade virtual, explicar como os óculos funcionam. Eles têm uma pequena câmera num dos lados. Também tem giroscópio, acelerômetro, microfone, um minúsculo touchpad e um display que exibe informações. O desenvolvimento começou há mais de dois anos. Agora, entra uma mulher, também usando os óculos high tech do Google. 

15:15 As imagens captadas pelos óculos mostram o paraquedas se abrindo e o chão se aproximando. Outra pessoa filma o paraquedista pousando no teto do Moscone Center, onde acontece o Google I/O. O público aplaude. Ciclistas, também usando óculos do Google, circulam pelo teto, exibindo-se. E, então, é hora de descer do telhado em rapel, também mostrando as imagens por meio dos óculos. Dois ciclistas, então, pedadam pelo Moscone Center e sobem ao palco. É o tipo de exibição que combina com o Google. Se fosse a Apple, o tema provavelmente seria música em vez de esportes de aventura.

15:10 Sergey Brin entra no palco usando os óculos de realidade virtual. Ele diz que um amigo dele está, neste instante, num dirigível sobre São Francisco, prestes a saltar de paraquedas. Eles também usa óculos de realidade virtual do Google. E as imagens serão transmitidas via hangout no Google+. Ele vai saltar com os óculos de realidade virtual. Ele está usando uma wingsuite, aquela roupa em forma de asa que permite planar antes de abrir o paraquedas. Ele abre a porta do dirigível e salta.

15:05 Depois do evento, as pessoas podem ir ao Google Plus ver as fotos. Avisos podem ser enviados automaticamente por e-mail. Um engenheiro do Google testou esse recurso convidando as pessoas para seu próprio casamento. Gundrota mostra as fotos do casamento, que aparecem organizadas, na página, de maneira a ocupar o espaço de forma eficiente. É possível ver apenas fotos feitas por determinado fotógrafo.

15:00 Gundrota fala e um novo recurso: Eventos do Google Plus. Tem integração com o calendário do Google, disponível na web e no Android. Ele mostra um exemplo em que amigos são convidados para um encontro no litoral da Califórnia. Quando a pessoa recebe o convite, pode clicar para ir ao calendário e ver se tem compromisso naquele horário. Durante o evento, fotos podem ser acrescentadas à página correspondente na rede social.

14:55  Vic Gundrotra começa a apresentar uma versão nativa para tablets do Google Plus. Fotos e outras imagens rolam pela tela sob o toque dos dedos. Itens mais populares são exibidos em tamanho maior. Ele mostra um hang-out, a videoconferência do Google+. Essa versão para tablet será liberada hoje para Android e, “em breve” para iPad. Também disponível hoje para smartphones com Android.


14:50 Hugo Barra volta e se despede. Acabou a parte da apresentação dedicada ao Android. Vic Gundrotra, vice-presidente sênior do Google, sobe ao palco para falar do Google+. Faz um ano que ela foi anunciada, no Google I/O 2011. Ele fala do HangOut, recurso que permite que várias pessoas conversem ao vivo, com vídeo. O exemplo é uma conversa entre astrônomos. Cada um pode ver as imagens captadas pelos outros. Gundrota diz que há 150 milhões de pessoas no Google Plus e que 50% entram na rede todos os dias. Diz, também, que o tempo que as pessoas passam no Google Plus cresce sempre. Ele está tentando desfazer a imagem de cidade fantasma que o Google+ tem.

14:45 Agora, eles mostram o Nexus Q exibindo um vídeo na TV. É um concorrente para o Apple TV. Não parece um produto que possa ser vendido em grande quantidade (como um smartphone ou tablet). Mas o Google deve ter outras coisas em mente, sobretudo venda de conteúdo e publicidade. Herschenson chegou a dizer que a empresa encoraja os hackers de plantão a fazerem modificações no Nexus Q. Vai custar 299 dólares. Começa a ser entregue em julho.

14:40 Joe Britt e Matt Hershenson, executivos do Google, sobem ao palco para apresentar a próxima novidade, o Nexus Q. Trata-se de uma espécie de media player que se comunica com os smartphones com Android. Tem o formato de uma bola de boliche. Tem o mesmo processador usado no smartphone Galaxy Nexus, além de um amplificador de áudio que fornece sinal para caixas acústicas. Tem Wi-Fi para acesso à internet e é capaz de baixar conteúdo diretamente da loja online Google Play. E, claro, ele roda Android. Em volta da bola preta há uma faixa iluminada. A luz pulsa conforme a música. “É uma jukebox conectada à nuvem”, diz Herschenson.

14:35 É hora de falar de jogos. Chris Yerga diz que o Google Nexus 7 tem um processador poderoso e elevada capacidade gráfica. “É um dispositivo sério para jogos”, diz. Ele começa a mostrar um jogo de tiro em primeira pessoa. Ele passa a um segundo jogo, Dead Trigger. Os tiros ecoam pelo auditório. O jogo é sangrento. “Quem disse que jogos para dispositivos móveis precisam ser casuais”, comenta ele. Hugo Barra diz que o Nexus 7 começa a ser vendido já por 199 dólares. E o comprador ainda recebe créditos para gastar na loja Google Play. As entregas começam na metade de julho em vários países. Mas o Brasil não está entre eles.

14:30 Chris Yerga diz que o Google Nexus 7 é o primeiro tablet que tem o Google Chrome como browser padrão. Ele mostra o Chrome em ação com vídeos do YouTube. Passa, então, a demonstrar o Google Maps no Nexus 7. Ele faz uma busca por restaurantes. Encontra vários na redondeza, com review do site Zagat, que foi comprado pelo Google. Ele clica num deles e vê um vídeo mostrando o interior do restaurante. O público aplaude com entusiasmo. Próximo assunto: Google Currents. É uma espécie de Flipboard do Google. Mostra matérias de revistas e noticiários agregadas num mesmo aplicativo, com formato de revista. Pode ser usado com o Google Tradutor para que o texto seja lido em outro idioma.

14:25 Agora, o momento mais esperado. Hugo Barra apresenta o novo tablet do Google, o Nexus 7, desenvolvido em parceria com a Asus. 7 polegadas, bateria para 9 horas de uso, 300 horas em espera. Câmera frontal para videoconferência. Pesa só 340 gramas. Chris Yerga, então, volta ao palco. Ele mostra o Nexus 7 sendo usado para visualização de revistas e filmes. Ele mostra revistas como Wired, Vanity Fair, Shape e Esquire. As revistas podem ser vistas na tela inteira. Terminada a parte das revistas, Yerga abre um programa de TV na tela. O Google Nexus 7 parece ser um concorrente de respeito para Amazon e Apple. Resta esperar que chegue ao Brasil logo. 


14:20 Chris Yerga apresenta o Google Cloud Messaging, novo sistema de mensagens. Em seguida, começa a falar de filmes disponíveis na loja online Google Play. Ele diz que a loja tem 4 milhões de e-books e é a maior loja de e-books do mundo. Agora, novidades: o Google Play vai oferecer programas de TV. Há conteúdo de grandes estúdios como Disney, Paramount e Sony Pictures. O Google Play também vai vender revistas. A maioria tem uma opção de experimentar por 14 dias. Com isso o Google chega perto da loja iTunes, da Apple, em conteúdo.

14:15 Chris Yerga, engenheiro do Google, começa a falar. Ele diz que há 600 mil apps no Google Play e que já houve 20 bilhões de downloads lá. A distância entre o Android e o iPhone, nesse aspecto, está diminuindo. Apps são vendidas em 132 países. Já os títulos gratuitos estão disponíveis em 190 países. Ele tenta convencer os desenvolvedores de que é um bom negócio criar aplicativos para o Android. No mercado, há a percepção de que a plataforma mais lucrativa é o iOS, da Apple. Ele também fala sobre alguns melhoramentos no Google Play, como uma forma mais inteligente de baixar atualizações que torna a instalação mais rápida e automática.

14:10 Galaxy Nexus e Motorola Zoom terão o Android Jelly Bean na metade de julho. Depois, o novo sistema será distribuído a outros smartphones e tablets. Vale notar que poucos smartphones rodam a versão atual mais recente, a Ice Cream Sandwich. Assim, vai continuar havendo várias versões do Android convivendo no mercado.

14:05 Hugo Barra começa a falar do Google Now, que fornece informações que variam conforme o contexto. Se a pessoa pesquisa um caminho, por exemplo, o sistema leva em conta informações de trânsito para sugerir o caminho mais rápido. Se a pessoa pesquisa esportes, o Google privilegia resultados que tem relação com o time para o qual a pessoa torce. O Google conhece as preferências da pessoa analisando as buscas que ela faz. Um engenheiro do Google demonstra esse recurso.

14:02 Hugo Barra fala do recurso de busca por voz do Android, que recebeu melhoramentos na versão Jelly Bean. A busca passa a entregar resultados diferentes dependendo do assunto. Pode retornar um mapa ou uma foto, dependendo do que foi pesquisado, por exemplo. E isso funciona com comandos de voz. É o recurso do Android equivalente à Siri, da Apple. Um engenheiro faz várias perguntas, falando ao smartphone. As respostas são todas corretas. Em alguns casos, elas vem na forma de fotos.

14:00 Hugo Barra começa a demonstrar os melhoramentos na câmera do Android. Ficou mais fácil ver as fotos deslizando o dedo pela tela. Ele passa, então, ao recurso Android Beam, que usa a conexão sem fio NFC para envio de informações a aparelhos próximos. Próximo assunto: notificações. No Jelly Bean, o sistema passa a mostrar mais informações na área de notificações. Torna-se possível, por exemplo, retornar uma chamada apenas tocando na notificação que informa sobre a ligação recebida. No caso de e-mail, há uma série de frases prontas que a pessoa pode usar para responder a uma mensagem com poucos toques. Se a notificação for de uma rede social, o usuário pode curtir o post já na tela de notificação. O usuário também pode aumentar ou diminuir a área ocupada pelas notificações na tela. Basta deslizar dois dedos sobre ela.

13:55 Hugo Barra começa a falar de novas maneiras de introduzir texto no Android. No Jelly Bean, o recurso de reconhecimento de voz funciona mesmo quando não há acesso à internet. Até agora, o Android usava os servidores do Google para processar as palavras ditadas. Por isso, esse recurso só estava disponível quando havia conexão de dados. Ele dmonstra o recurso mostrando um smartphone no telão. Ele diz que o sistema também passa a funcionar com idiomas que usam alfabetos não latinos.


13:50 Para demonstrar a melhora no desempenho trazida pelo Android Jelly Bean, Dave Burke mostra um smartphone exibindo imagens de alta resolução em rápida sucessão na tela. Quando ele termina a demonstração, Hugo Barra volta a falar, e chama outra engenheiro para demonstrar mais novidades no Android. Ele demonstra que o novo Android permite colocar um aplicativo numa janela na tela do smartphone, como no Windows e no Mac.

13:47 Sobe ao palco Dave Burke, engenheiro do Android, para falar das novidades da versão Jelly Bean. Ele fala de melhoramentos no desempenho. O novo Android, diz, é capaz de renovar a imagem na tela muito mais rapidamente. Coisas como animações, rolamento de telas e outras ficam muito mais suaves, diz ele. É o que o Google chama de Project Butter (projeto Manteiga). Ele diz que a resposta da tela aos toques do usuário também será mais rápida. A linguagem de Burke é técnica, já que ele se dirige a uma plateia de engenheiros de software e hardware.

13:45 Hugo Barra, diretor do Google responsável pelo Android, lembra que, em 2011, o Google anunciou que havia chegado a 100 milhões de dispositivos com Android. Agora são 400 milhões. É um número impressionante. 400 mil eram ativados todos os dias no ano passado. Agora é 1 milhão de dispositivos por dia. O Android realmente segue explosivamente. Barra destaca o Brasil como um dos países onde o Android mais cresce. Ele passa então, a falar do novíssimo Android 4.1 Jelly Bean.

13:40 Vic Gundotra, vice-presidente sênior do Google, dá boas vindas ao público no Moscone 
Center, em São Francisco. Ele chama ao palco Hugo Barra, o diretor responsável pelo Android.

13:35 O Google I/O está prestes a começar. Um vídeo é exibido no telão. Vai falar Vic Gundotra, vice-presidente sênior do Google.

13:00 Começa nesta quarta-feira, 13:30 (horário de Brasília), o Google I/O, evento anual do Google para desenvolvedores de aplicativos. A empresa deve apresentar novidades do sistema Android e do Chrome OS. Também é possível que ela revele um tablet com sua própria marca. Além disso, ela deve anunciar algumas novidades na rede social Google Plus para marcar seu primeiro aniversário. O congresso, que vai até sexta-feira, está sendo realizado no Moscone Center, em São Francisco, Califórnia.

Recarregue a página para ver as atualizações no texto. Veja o vídeo ao vivo da apresentação a seguir.

https://developers.google.com/events/announce/googleio2012/?barcolor=%233D88F3&linkcolor=%23205AAF&width=590&height=380