Anatel mostra avanço na qualidade da telefonia

Resultado vem apesar do bombardeio de críticas dos deputados da Comissão de Fiscalização e Controle

São Paulo – Representantes da Anatel e das operadoras de telefonia foram “bombardeados” com críticas dos deputados da Comissão de Fiscalização e Controle sobre os serviços de telecomunicações.

A insatisfação dos parlamentares recai sobre a baixa qualidade das ligações, a dificuldade em conseguir atendimento nos call centers, cobranças indevidas etc. O deputado Felipe Pereira, inclusive, mencionou que de 700 mil solicitações mensais na ouvidoria da Câmara, 500 mil pedem a aprovação de projeto de lei que elimine a assinatura básica.

O superintendente de serviços públicos da Anatel, Roberto Pinto Martins, citou os avanços conseguidos nem relação aos terminais de uso público (TUPs). A Anatel exigiu das concessionárias em outubro do ano passado um plano de revitalização dos orelhões. Na época cerca de 60% deles estavam em operação e hoje esse percentual é de 90%. A meta da agência é chegar em 95%.

Outra frente de trabalho da superintendência foi a elaboração de um plano de ação para redução das interrupções de serviço. “No Amazonas a média era de mais de 40 horas por interrupção, já reduzimos para 20 horas. Objetivo é alcançar os níveis de Brasília e outras localidade”, disse o superintendente.

No campo dos serviços móveis, o superintendente de serviços privados, Bruno Ramos, mencionou que na revisão do regulamento SMP, a Anatel irá incluir todos os prazos estabelecidos no Decreto do SAC para fortalecer a defesa dos interesses dos consumidores.

O diretor do SindiTelebrasil, Carlos Duprat, por sua vez, mostrou aos deputados que o crescimento do setor exige constantes e pesados investimentos a todo o momento. As empresas de telefonia investiram R$ 21,7 bilhões na melhoria dos serviços em 2011 e as reclamações contra o setor no Idec caíram 57% nos últimos dois anos.