Alibaba é processado por supostamente vender itens falsos

Empresa responsável por marcas de luxo alega que o Alibaba tinha conhecimento de que tornava possível para os falsificadores vender imitações de seus produtos em todo o mundo.

Uma fabricante de roupas de luxo está processando a gigante chinesa do varejo Alibaba, acusando-a de fabricar e vender itens falsos em seu site.

A empresa francesa Kering, responsável por marcas de luxo como Alexander McQueen, Balenciaga, Gucci, Puma e outras, alega que o Alibaba tinha conhecimento de que tornava possível para os falsificadores vender imitações de seus produtos em todo o mundo.

“Continuamos trabalhando em parceria com várias marcas para ajudá-las a proteger sua propriedade intelectual, e fazemos isso há um bom tempo. Infelizmente, a Kering escolheu o caminho do litígio em vez do caminho de cooperação construtiva. Acreditamos que esta acusação não possui fundamento e iremos lutar vigorosamente”, disse um porta-voz do Alibaba ao site de tecnologia CNET.

Esta, no entanto, não é a primeira vez que o Alibaba enfrenta uma ação judicial da Kering. Em julho do ano passado, a empresa movia um processo contra a gigante chinesa, mas retirou as acusações enquanto solucionava a questão diretamente com o Alibaba.

À época, a Kering acusava o Alibaba de “oferecer o local de publicidade e outros serviços essenciais necessários para que os falsificadores vendam seus produtos aos clientes nos Estados Unidos”.

Fonte: CNET