Alguém vai levar o Yahoo?

A companhia de tecnologia Yahoo divulga hoje seus resultados do primeiro trimestre de 2016 e as expectativas não são favoráveis. O faturamento deve ser de 845 milhões de dólares, 15% a menos do que há um ano. É mais uma notícia negativa de uma série . A companhia passa por uma crise interna diante da má gestão e de uma indisposição dos investidores com a alta cúpula da empresa.

O fundo de investimentos Starboard Value planeja uma guerra judicial para substituir a presidente da companhia, a outrora popular Marissa Meyer. Ontem, encerraram-se as propostas de dezenas de candidatos a comprar uma parte ou o controle de companhia. O entusiasmo passou longe do balcão de negociações. Vários dos supostos interessados, como Time, AT&T, Comcast e Alphabet não fizeram oferta alguma ou sequer deram entrada no acordo de confidencialidade. A companhia de telecomunicações Verizon é um dos únicos grandes interessados ainda no páreo.

O fracasso já faz até investidores especularem se de fato há um plano em curso para vender o Yahoo. Pelo contrário, foi questionado se havia algum plano real de venda do Yahoo: alguns interessados encontraram barreiras
para marcar reuniões pessoais com a presidente Marissa Mayer e com o diretor de finanças Ken Goldmann. Além disso, a companhia se nega a dar maiores detalhes sobre suas finanças internas ou sobre o Tumblr, plataforma de blogs adquirida em 2013, e que, segundo o próprio Yahoo, custou caro demais – 1,1 bilhão de dólares.

Embora o Yahoo tenha marcas superiores a um bilhão de usuários online mensalmente, sua receita de propaganda está prevista para cair 14% este ano, de acordo com previsões da eMarketer, enquanto a empresa continua a perder mercado para Google e Facebook. A companhia acumula quedas nos lucros desde 2007.

Os planos de conseguir 10 bilhões de dólares em ofertas parecem distantes. Há quatro anos no cargo, Marissa Meyer não tem muito com o que se preocupar. Se cair antes da venda, embolsa 13 milhões de dólares em bônus. Se a venda sair, o cheque sobe para 37 milhões. Arrumar outro emprego depois já vai ser mais complicado.