Alemanha espionou Kerry e Hillary, diz revista

A revista Der Spiegel não revelou a fonte de suas informações, mas afirmou que as conversas foram captadas acidentalment

O serviço de inteligência da Alemanha espionou ligações telefônicas feitas pelo secretário de Estado dos EUA, John Kerry, e por sua predecessora, Hillary Clinton, segundo a última edição da revista alemã Der Spiegel.

A respeitada publicação semanal afirma que a agência de espionagem, conhecida como BND pela sigla em alemão, teve acesso a uma conversa telefônica por satélite de Kerry, em 2013, como parte de operações de vigilância de telecomunicações no Oriente Médio.

A BND também gravou um diálogo entre Hillary e o ex-Secretário Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) Kofi Annan um ano antes, de acordo com a Der Spiegel.

A revista não revelou a fonte de suas informações, mas afirmou que as conversas foram captadas acidentalmente, que as três autoridades não eram alvo direto de espionagem e que as gravações foram destruídas imediatamente.

No caso de Hillary, a ligação supostamente foi feita na mesma “frequência” que a de um suspeito de terrorismo, segundo a publicação.

A BND não respondeu a pedidos de comentários sobre a reportagem da Der Spiegel. Fonte: Associated Press.