Agência de proteção de dados do Reino Unido quer mais dados sobre libra

Autoridades já afirmaram que a libra precisa ser regulada o máximo possível para garantir que a moeda não perturbe o sistema financeiro global

Bangalore — A agência de proteção de dados do Reino Unido afirmou nesta segunda-feira que juntou-se a suas contrapartes ao redor do mundo na cobrança de mais abertura do Facebook sobre seu projeto para a moeda digital libra.

Os planos da rede social para a libra incluem um lançamento no próximo ano, o que disparou alertas de políticos, reguladores e bancos centrais para que a moeda seja envolta por um aparato legal adequado para se evitar problemas ao sistema financeiro internacional.

A agência afirmou nesta segunda-feira que enviou uma carta ao Facebook e outras 28 companhias por trás da libra com pedidos de detalhes sobre como os dados dos usuários serão processados no contexto da legislação de proteção de dados.

A carta também cobra garantias de que apenas um mínimo de dados seja recolhido e para que o serviço seja transparente. A agência quer saber ainda o montante de dados que será compartilhado entre os membros da rede que apoia a libra.

Representantes do Facebook não comentaram o assunto de imediato.

No mês passado, ministros de Finanças e bancos centrais de países do G7 afirmaram que a libra precisa ser regulada o máximo possível para garantir que a moeda não perturbe o sistema financeiro global.