Adobe negocia compra da empresa de software Marketo, dizem fontes

Um acordo ampliaria a oferta de software em nuvem da Adobe, conforme a empresa enfrenta grandes concorrentes como a Microsoft e a Oracle

(Reuters) – A Adobe Systems, desenvolvedora do software de edição de imagens Photoshop, está negociando a compra da Marketo, uma empresa privada de software de marketing baseados em nuvem, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

Um acordo ampliaria a oferta de software em nuvem da Adobe, conforme a empresa enfrenta grandes concorrentes como a Microsoft e a Oracle. A Marketo oferece aplicações de marteking business-to-business (B2B) complementares aos negócios de marketing da Adobe.

A empresa de private equity Vista Equity Management tornou a Marketo privada há dois anos por 1,8 bilhão de dólares. A Adobe deve pagar um montante significativamente maior se o acordo for firmado, disseram as fontes, embora o valor exato que está em consideração não possa ser revelado.

Veja também

No entanto, não há certeza de que as conversas entre a Adobe e a Vista Equity levarão a um acordo, alertaram as fontes, pedindo para não serem identificadas já que o assunto é confidencial.

Tanto a Adobe quanto a Vista Equity não falaram sobre o negócio, enquanto a Marketo não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

A Adobe, que tem um valor de mercado de 130 bilhões de dólares, superou as expectativas de lucro e receita dos analistas nos últimos oito trimestres, com os resultados impulsionados pela força de seu negócio em mídia digital, que abriga o seu produto emblemático Creative Cloud.

A empresa com sede em San Jose, na Califórnia, tem ativamente explorado possíveis aquisições. Em maio, a Adobe firmou acordo para comprar a provedora de serviços de comércio eletrônico Magento Commerce da empresa de private equity Pemira por 1,68 bilhão de dólares, em um movimento para impulsionar seu negócio Experience Cloud.

A Marketo, fundada em 2006 como um serviço de marketing por email, gerou receita de aproximadamente 321 milhões de dólares em 2017, de acordo com a agência de classificação Moody’s Investors Service.