A Microsoft segue seu rumo: expansão nos games e na nuvem

Todas as áreas da gigante de tecnologia devem reportar aumento de receita no último ano, do LinkedIn ao Xbox

A gigante de tecnologia Microsoft continua a crescer. A empresa por trás do Windows vive uma boa fase: no terceiro trimestre de 2018, sua divisão de computação em nuvem Azure cresceu 76% e os serviços e servidores cresceram 28% em faturamento, segmento em que a empresa compete com a gigante Amazon.

Todas as áreas tiveram aumento de receita, do LinkedIn ao Xbox. Gaming teve o segundo melhor resultado, com 44%, seguido pela divisão de software e serviços para Xbox, com 36%. Nesta quarta-feira (30), a empresa irá revelar o balanço do último trimestre de 2018 e seguirá nessa boa fase de crescimento.

O clima das previsões é de otimismo. Analistas da Nasdaq indicam que a companhia liderada por Satya Nadella reportará receita de 31,9 bi a 32,7 bi de dólares no período de outubro a dezembro, que representa o segundo trimestre do ano fiscal da empresa.

Caso a estimativa se confirme, os resultados serão de 10 a 13% maiores do que os da mesma época no ano passado. Os serviços de computação em nuvem devem continuar a crescer. No primeiro trimestre da empresa, terminado em setembro, a receita foi de 29,1 bilhões de dólares, um aumento de 19%.

Michael Kramer, fundador da consultoria de investimentos Mott Capital Management LLC, também está otimista com relação aos resultados fortes que a Microsoft deve reportar para o último trimestre de 2018. A expectativa de todos está em torno do negócio de nuvem.

Os resultados da Microsoft no último trimestre foram um recorde para a empresa, especialmente em cloud. “Vemos uma contínua demanda por nossos serviços de nuvem, refletida na nossa receita comercial de nuvem de 8,5 bilhões de dólares, 47% a mais no ano sobre ano”, afirmou, na última divulgação de resultados, Amy Hood, vice-presidente executiva e diretora financeira da Microsoft.

A última grande compra da empresa, o LinkedIn – adquirido por 26,2 bilhões de dólares – , continua a crescer. No trimestre passado, os resultados mostram 33% de aumento em relação ao início do ano fiscal de 2018. O GitHub, um repositório popular de código comprado pela Microsoft por 7,5 bilhões em 2018, segue em processo de integração com a criadora do Windows.

A maré de sorte da Microsoft tem tudo para continuar.