5 áreas de uma PME que podem ser transformadas pela nuvem

A computação em nuvem é celebrada como uma das tecnologias que permitiram às pequenas e médias empresas competirem de igual para igual com grandes corporações

A computação em nuvem é celebrada como uma das tecnologias que permitiram às pequenas e médias empresas competirem de igual para igual com grandes corporações. As vantagens são mesmo inúmeras. Há quem valorize a economia com custos de TI, mas existem também os que enxergam a possibilidade de ter acesso a aplicações inovadoras como o principal motivo para aderir à nuvem.

Quase 80% dos executivos de TI ouvidos por uma pesquisa da consultoria Gartner afirmam que suas empresas devem aumentar o investimento em serviços de cloud computing até 2017. Com um data center próprio instalado no Brasil desde o ano passado, a Microsoft está bem posicionada para atender clientes interessados em começar a usar serviços na nuvem por meio de sua plataforma de cloud, o Azure.

Na prática, serviços como o Azure podem ajudar empreendedores a gerenciar as necessidades das áreas importantes para o crescimento da empresa com baixo risco e custos controlados.

Veja, aqui, cinco exemplos de áreas que podem ganhar eficiência com a tecnologia de computação em nuvem.

1. Vendas

Mais de 60% dos CEOs ouvidos para uma pesquisa recente do Gartner afirmam que sua prioridade atual é aumentar o faturamento de suas empresas. Como a nuvem pode ajudar quem tem esse desafio? De muitas maneiras.

Uma empresa pode começar uma operação de e-commerce, por exemplo, e aumentar suas receitas a partir de um novo canal de vendas. E para quem a estratégia de vendas online não faz tanto sentido? Nesses casos, sistemas de relacionamento com o cliente baseados em nuvem (os chamados CRMs) podem ajudar a criar recomendações de produtos, análises do perfil do cliente e comportamento de compra para oferecer o produto certo no momento exato.

Isso sem contar a possibilidade de aumentar a produtividade da área de vendas com softwares que permitem acesso remoto a dados atualizados em tempo real.

2. Marketing

Em uma pesquisa feita pela consultoria KPMG com executivos de vários países, mais de um terço dos entrevistados disse que investe em nuvem para poder analisar grandes quantidades de dados. Assim, eles podem criar insights para o desenvolvimento de novos negócios.

As hipóteses que surgem como resultado da análise de informações são fonte inesgotável de ideias para a equipe de marketing. Com elas, é possível traçar estratégias para captar novos clientes e manter os antigos.

Imagine, ainda, que a área de marketing está se preparando para o lançamento de um novo produto ou serviço. Com a ajuda da nuvem, é possível lançar um hotsite temporário para uma grande ação de divulgação de maneira relativamente simples, sem precisar se comprometer com infraestrutura própria de TI.

3. TI

A área de TI é provavelmente a que mais ganha eficiência com a nuvem. Estudos da consultoria Deloitte mostram que o investimento na área pode cair pela metade com a adoção de aplicações em nuvem pública.

Mas por que, afinal, a TI enxuga tanto com a nuvem? Isso acontece porque não é mais necessário adquirir servidores próprios. A capacidade de armazenamento pode ser contratada de acordo com a demanda e os profissionais de TI podem dedicar seu tempo para pensar em estratégias mais ligadas à atividade principal da empresa.

4. RH

Pense na seguinte situação: uma funcionária talentosa acaba de se tornar mãe e enfrenta o dilema de conciliar vida pessoal e trabalho. Ou, então, nesta: um funcionário com muitas responsabilidades ganha uma bolsa de estudos e resolve passar três meses no exterior.

Qual é o sentido de privá-los de certas conquistas só porque não estão full time na empresa? Nenhum, certo? Pois a nuvem auxilia nesse tipo de situação. Como os sistemas da empresa podem ser acessados de qualquer lugar, a partir de qualquer dispositivo, é menor a chance de que um problema só possa ser resolvido por quem está no prédio.

Do ponto de vista dos profissionais de RH, isso gera uma enorme vantagem. Em pequenas e médias empresas, frequentemente é preciso pensar em maneiras de segurar os melhores talentos diante de proposta de uma grande corporação, por exemplo. Entre os mais jovens, poder trabalhar alguns dias de casa pode ser visto como um grande diferencial.

5. Finanças

Todo empreendedor sabe que, sem um bom controle financeiro, fica difícil estabelecer quais produtos ou serviços são mais interessantes para o momento atual da empresa. Numa análise mais criteriosa, aquilo que aparentemente dá lucro pode se revelar um grande prejuízo. No dia-a-dia, esse estudo é feito por softwares de gestão, os chamados ERPs.

Com a nuvem, sistemas desse tipo podem ser usados para fazer análises de toda natureza. Qual é o preço que se deve aplicar a uma proposta para um cliente de uma região remota? Quanto de desconto é possível dar para quem fechar um contrato superior a um ano? Todas essas respostas podem ser conseguidas em tempo real, no momento da negociação, caso os vendedores tenham acesso ao sistema por meio de seus smartphones, já que as informações estarão armazenadas na nuvem.

Para começar sua jornada na nuvem, há um teste sem compromisso disponível no site do Azure, com um crédito promocional de 750 reais para ajudar seu negócio.

Se estiver interessado em continuar, há 3 modelos de compra disponíveis: pagamento por uso, ideal para quem está conhecendo a plataforma e vai desembolsar apenas aquilo que utilizou; pré-pago, que oferece um pacote de créditos por 12 meses para dar previsibilidade de gastos; e contrato corporativo, com compromisso de 12 a 24 meses, que dá acesso a descontos atrativos. “Essas opções foram pensadas para contemplar as necessidades dos empreendedores em qualquer fase dos seus negócios”, diz Camila Kamimura, gerente de marketing de produtos da Microsoft.

Saiba como a Microsoft pode ajudá-lo a ser mais competitivo acessando o SITE DO AZURE