18% dos apps baixados no Brasil são de redes sociais

Aplicativo social mais popular do País é o Facebook, que lidera também o agregado mundial, segundo pesquisa da consultoria Distimo

São Paulo – O Brasil é o segundo país do mundo com maior proporção de downloads de aplicativos de redes sociais. Segundo relatório divulgado nesta sexta-feira, 31, pela consultoria Distimo, os downloads de apps de redes sociais equivalem a 18% do total de aplicativos baixados no País, número que põe o Brasil atrás apenas dos Estados Unidos, onde 20% de todos os aplicativos baixados são de redes sociais. O aplicativo social mais baixado pelos brasileiros é o Facebook, que lidera o total agregado também em nível mundial (no período 2010-2012), apesar da crescente ameaça de concorrentes como o Instagram.

Nos últimos dois anos, o volume total de downloads de apps de redes sociais cresceu a uma taxa muito superior à dos aplicativos em geral, segundo aponta o relatório da Distimo. Enquanto o volume de downloads referente ao top 100 da Apple App Store cresceu 43% no referido período, os downloads de aplicativos de redes sociais aumentaram 193% entre julho de 2010 e julho de 2012. Os EUA são a região do mundo com maior apetite por redes sociais, sendo o volume de downloads deste tipo de app equivalente a 20% do total de aplicativos baixados no país. Em regiões como a Europa e o Sudeste Asiático, esse percentual não chega a 10%.

O Facebook foi o aplicativo social mais baixado no agregado de países ao longo do período de dois anos entre julho de 2010 e julho de 2012. Contudo, a partir de julho de 2011, a rede social perdeu a liderança em alguns países específicos. Atualmente, o Facebook já não é o app social mais baixado nos 10 maiores mercados do mundo, tendo perdido espaço para serviços como o Viber e o Whatsapp.

Por outro lado, o Instagram teve uma ascensão vertiginosa, tornando-se o segundo app social mais popular do mundo a partir de julho de 2011 (em números agregados), e levando a pesquisa a qualificá-lo como uma ameaça em potencial para a liderança do Facebook. Cabe lembrar que o Instagram foi comprado pelo próprio Facebook este ano por US$ 1 bilhão.