Tesouro Direto: o momento de comprar os títulos já passou?

Internauta pergunta se mesmo após títulos públicos apresentarem rendimentos superiores aos da bolsa, ainda é um bom momento de apostar na aplicação

Dúvida do internauta: Estou pensando em me aposentar daqui a 15 anos e tenho procurado mais informações sobre o Tesouro Direto, mas fiquei com uma dúvida. Observando os rendimentos anuais desses títulos, percebi que a maioria rendeu mais do que a própria bolsa, que é um investimento de risco. Será que eu perdi o “timing”o momento certo aplicação? Olhando para 2013 e 2014, quando o governo talvez tenha que subir um pouco os juros por causa do aumento da inflação, pode acontecer o contrário, ou seja, os títulos se desvalorizarem?

Resposta de Beto Veiga*: 

A bolsa, como você mesmo disse, é um investimento de risco, isto é, você pode ganhar ou perder. Para ser bem sincero, qualquer investimento traz riscos, sendo que uns mais e outros menos. O que se espera é que aqueles que tragam maior risco apresentem maior resultado.

Aí você pergunta: se a bolsa tem maior risco, por que não deu resultado maior? Exatamente porque “ocorreu” o risco. Deu errado. O sentimento generalizado é de que estes ativos (empresas e seus resultados) não terão retorno suficiente, ou seja, não valeria colocar o dinheiro ali. Mas isso é uma verdade? O “mercado” está certo? Ninguém sabe, muito menos aqueles que o compõem. E isso é o tal do risco também. Amanhã, eles podem mudar de opinião e os preços podem subir sem controle. 

Voltando ao caso específico dos títulos públicos negociados no Tesouro Direto, você pergunta se “perdeu o timing” de entrar na operação, certo? Para ter um ganho tão expressivo, pode ser que não ou que sim. Que não, porque ninguém imaginava que os juros fossem cair tanto e com tão pouca expectativa de que voltem a subir. Principalmente com base na possibilidade de aumento dos gastos com campanhas eleitorais. Mas caiu. Será que podem cair mais? Não tenho como garantir nem que sim nem que não, embora, se fosse fazer uma aposta com o meu dinheiro, casaria na manutenção e não na queda.

Você pergunta ainda se, sendo o cenário de 2013 e 2014 de elevação de juros (você quem está dizendo que os juros vão subir, viu?), haveria uma desvalorização dos títulos. A resposta é: se a taxa subir, os títulos pré-fixados e os pré-fixados com inflação, que denomino pré-pós, sim, têm desvalorização. Mas, se comprar papéis indexados à Selic não há este risco.

Para saber um pouco mais sobre o assunto, meu livro “O Essencial sobre o Tesouro Direto” trata do tema e, além disso, indico outras duas matérias de EXAME.com: “15 respostas essenciais sobre o Tesouro Direto” e “Como lucrar com renda fixa após a mudança na poupança“. 

*Beto Veiga é doutor em economia pela Universidade de Brasília, ex-funcionário do Banco Central e consultor de valores mobiliários registrado na CVM. É autor dos livros “O Essencial sobre o Tesouro Direto” e “Tudo sobre CDB”, além do Blog “Beto Veiga – finanças desvendadas”.

Dúvidas, observações ou críticas sobre esta resposta? Deixe um comentário abaixo!

Envie outras dúvidas financeiras para seudinheiro_exame@abril.com.br.