Santander inclui BicBanco e BR Malls na carteira sugerida

Já as ações da Localiza, Tegma, Cesp e Vivo deixaram de figurar entre as favoritas da corretora

A corretora do Santander – que trabalha de forma independente do banco – decidiu alterar a carteira de ações sugeridas para os investidores. Em relatório, os analistas Marcelo Audi e Leonardo Milane informaram que continuam com uma perspectiva de retorno acima da média do mercado para o setor financeiro e adicionaram às ações preferenciais do BicBanco ao portfólio de melhores papéis para investir na bolsa paulista.

A decisão reflete a perspectiva de forte crescimento do crédito para pequenas e médias empresas. Ainda no segmento financeiro, o banco continua a indicar Itaú Unibanco PN, BM&FBovespa ON e Cielo ON.

No setor de transporte e logística, o Santander retirou as ações da Localiza ON e da Tegma ON da carteira sugerida. Ambos os papéis tiveram forte valorização nas primeiras duas semanas de julho. No segmento, continuam entre as “top picks” do Santander a Gol PN e a CCR ON.

No segmento shoppings, a corretora incluiu BR Malls ON no portfólio de ações preferidas. O Santander acredita que a empresa vai atingir a meta de 500 milhões de reais em aquisições até o final do ano, o que seria positivo para seus papéis.

Outra alteração anunciada pela corretora é no segmento de concessões públicas. A única ação indicada nesse segmento era a da Cesp PNB. No entanto, com a forte valorização dos papéis desde abril e com a expectativa de continuidade do crescimento econômico, o Santander decidiu zerar sua exposição a ações de energia.

A última mudança inclui a retirada de Vivo PN da carteira sugerida. Com o fracasso da compra da participação da Portugal Telecom pela Telefônica, os analistas acreditam que o papel poderá ser penalizado.

A carteira dos papéis favoritos do Santander ainda inclui Cyrela ON, MRV ON, PDG ON, Lojas Renner ON, Hering ON, Iochpe-Maxion ON, Randon ON, Amil ON, Vale PNA, Petrobras ON e CSN ON. Os setores que não são contemplados com nenhuma exposição são os de agronegócio, papel e celulose, alimentos e bebidas, telecom e concessões públicas.

“Nós reiteramos nossa recomendação de se manter focado no setores cíclicos ligados ao mercado interno durante o início da atual fase de aperto monetário. Esperamos que o crescimento dos lucros dessas empresas deva permanecer vigoroso até o primeiro semestre de 2011, o que pode continuar a ter reflexos positivos na cotação desses papéis”, diz o relatório.