Saiba quais são os imóveis preferidos para locação

Pesquisa aponta que tipo de imóvel e qual faixa de valor os inquilinos procuram nas diversas regiões de São Paulo

Dos 3.100 imóveis alugados no Estado de São Paulo em março, 53,52% eram casas e 46,48%, apartamentos. Em termos de valores, na capital, a faixa que concentrou a maioria das novas locações foi a dos aluguéis mensais de até R$1.000,00, com 55,40% do total de novos contratos. No interior, os mais locados foram os imóveis com aluguel de até R$600,00, somando 50,23%. Nas cidades do ABCD, Guarulhos e Osasco e no litoral, os apartamentos e casas mais alugados concentraram-se na faixa de até R$800,00, com 64,63% e 72,18% dos novos contratos, respectivamente. Os dados são de levantamento realizado pelo Creci-SP (Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo) em 1.606 imobiliárias do Estado.

O menor aluguel residencial em março foi encontrado em Araraquara, onde casas de 1 dormitório em áreas nobres foram alugadas pelo valor mínimo de R$150,00 mensais e máximo de R$400,00. O aluguel mais caro do Estado foi de R$6.000,00 por casa de 4 dormitórios em bairros da área central de Bauru, ressalvando-se que esse foi o único imóvel do gênero e com esse valor encontrado na cidade.

Garantia
O fiador foi a forma mais adotada em março como garantia de pagamento dos aluguéis em caso de inadimplência dos inquilinos. Esteve presente em 83,02% do total de novos aluguéis contratados no Interior; em 60,58% no Litoral; em 44,26% na Capital; e em 48,11% na região do ABCD, Guarulhos e Osasco.

Menos contratos
O índice estadual de locação teve queda de 10,49% – estava em 2,1565 em fevereiro e baixou para 1,9303 em março. O número de novas locações caiu na Capital (- 6,26%), no Interior (- 18,22%) e no Litoral (- 4,17%). Na região do A, B, C, D, Guarulhos e Osasco houve alta de 6,54%.

As imobiliárias receberam de volta 1.698 casas e apartamentos, o equivalente a 54,77% do total de imóveis alugados.