Quanto tempo você tem que trabalhar para comprar um iPhone X

Gráfico do HowMuch.net com base em estudo do UBS mostra quanto tempo de trabalho é preciso para comprar um iPhone X em várias cidades do mundo

São Paulo — Já faz algum tempo que os smartphones se tornaram um item essencial da vida moderna. Muitas pessoas, inclusive, não conseguem sair de casa sem eles. Os iPhones, da Apple, estão entre os “queridinhos” do público no Brasil e no mundo, mas a cada lançamento seu preço fica maior.

Quando chegou ao Brasil, o iPhone X, por exemplo, a versão mais recente do aparelho lançada pela marca, custava entre 6.999 reais e 7.799 reais, dependendo da capacidade de memória escolhida. Nos EUA, o valor de lançamento do produto foi de 999 dólares —o mais alto já cobrado pela Apple por um iPhone.

Você já parou para pensar quantas horas você precisa trabalhar para comprar um telefone desse? O UBS, sim. O banco suíço calculou quanto tempo de trabalho é preciso para ter um iPhone X em várias metrópoles pelo mundo, incluindo Rio de Janeiro e São Paulo, no Brasil.

O estudo levou em conta dados oficiais de salário médio em cada região para uma jornada de trabalho de 8 horas e preços do produto estipulados oficialmente pelo fabricante nas cidades pesquisadas. Os resultados foram compilados em um gráfico montado pelo site HowMuch.net publicado na semana passada.

O resultado destacou a chocante desigualdade entre os países mais e menos ricos em cada continente. Na Europa, por exemplo, as pessoas de países do Leste europeu precisam trabalhar mais horas para comprar um iPhone X do que as pessoas que vivem mais a Oeste.

No continente americano, ter um iPhone X demanda menos tempo de trabalho nos países do Norte, como Estados Unidos e Canadá, do que em cidades latinas, como Buenos Aires e Bogotá. Na África é onde fica o país em que as pessoas mais têm que trabalhar para conseguir comprar um iPhone: o Egito. No Cairo, é preciso trabalhar mais de mil horas para bancar a última versão do aparelho da Apple.

Do outro lado, a cidade que demanda menos horas de trabalho para quem quer comprar um iPhone X fica na rica Suíça. Em Zurique, só é preciso trabalhar 38,2 horas para ter dinheiro suficiente para adquirir o produto, segundo o estudo do UBS. O tempo é mais de sete vezes menor do que o necessário para os moradores de São Paulo terem o smartphone (288,7 horas). No Rio, o número sobe para 316 horas de trabalho.

É importante lembrar que os dados são apenas uma referência. É claro que muitas pessoas em cada cidade pesquisada ganham mais ou menos do que o salário médio oficial da região. Além disso, também é preciso considerar que os preços do iPhone podem variar bastante em cada lugar, dependendo do plano de cada operadora, promoções etc. Veja abaixo o gráfico montado com base no levantamento do UBS.

Estudo iPhone X UBS Estudo iPhone X UBS

Estudo iPhone X UBS (UBS/Reprodução)