Qual a melhor forma de vender seu carro usado?

Veja se é melhor para você procurar uma concessionária, vender direto para alguém ou usar um novo serviço de leilão online

São Paulo – Neste momento, o que é mais importante para você ao se desfazer do seu carro usado: ganhar mais dinheiro, vender mais rápido ou ter mais segurança na transação? São combinações desses fatores que vão determinar se é melhor você procurar um vizinho interessado, um site de classificados, uma concessionária ou um leilão online.

Veja a seguir as vantagens e desvantagens de cada uma dessas alternativas, para escolher com mais segurança como vender seu carro:

Direto para conhecidos

Espalhar a notícia de que você colocou seu carro à venda no Facebook ou no condomínio do prédio e efetuar a venda para um conhecido pelo boca a boca é a melhor forma de fazer negócio. “Se você conseguir vender para quem você conhece, melhor. Assim você maximiza o preço e conhece quem está comprando”, orienta Diego Fischer, CEO da InstaCarro.

Você certamente conseguirá se desfazer do veículo por um preço muito próximo do que deseja e poderá confiar no comprador. A desvantagem é que pode ser bem demorado encontrar um interessado. Se você tem pressa para vender o carro, essa não é uma boa opção.

Em sites de classificados

As chances de vender o carro mais rápido aumentam ao expor o veículo em um ou mais classificados online, mas mesmo assim, pode demorar. Você pode regular o preço do carro conforme sua pressa.

A principal vantagem dessa alternativa é conseguir receber o valor verdadeiro de mercado do carro, sem a desvalorização proposta pelas concessionárias. Além disso, o poder de aceitar ou não a proposta de compradores está nas suas mãos.

Mas o risco desse tipo de venda é alto, porque você não conhece o comprador que está do outro lado, como alerta Milad Kalume Neto, gerente de desenvolvimento de negócios da consultoria Jato Dynamics. “Se acontecer qualquer problema, você não tem uma entidade com CNPJ por trás para defendê-lo e precisará tratar direto com uma pessoa física”, explica.

Marque o o encontro com o comprador em um lugar público, como o estacionamento de um shopping. Parace óbvio, mas o conselho é válido: só entregue o carro depois que o dinheiro estiver na sua conta e que o documento de transferência do veículo estiver assinado, como recomenda José Félix, gerente da Checkauto.

Em uma concessionária

Você está 100% certo de que a transação será segura e você receberá seu dinheiro, mas, em troca do risco menor, a concessionária pagará até 40% menos pelo seu veículo do que ele vale no mercado, segundo especialistas ouvidos por EXAME.com. A avaliação costuma ser especialmente baixa se você colocar o carro no negócio para comprar outro.

Uma vantagem é que você recebe o dinheiro assim que entregar o carro, e a responsabilidade de vender o automóvel fica por conta da empresa.

Você também pode deixar o carro na concessionária sob consignação, ou seja, só recebe o dinheiro quando ele for vendido, e não recebe nada se quiser tirá-lo da loja a qualquer momento. Nesse caso, o preço oferecido é um pouco mais alto: chega a 20% menos do que o valor de mercado, de acordo com os especialistas.

No entanto, só venda seu veículo pelo modelo consignado se tiver boas referências da empresa e depois que ler o contrato e tiver certeza que será protegido pela concessionária enquanto o seu bem estiver sob responsabilidade dela.

“Seu carro estará no ambiente da loja, mas ainda é seu. Tenha certeza que ele não sairá da loja e que será vendido nas mesmas condições em que foi entregue”, aconselha Félix, da Checkauto.

É essencial pesquisar o preço que diferentes concessionárias oferecem pelo seu carro, para encontrar a melhor avaliação possível. “Não aceite qualquer proposta, vale a pena visitar empresas diferentes”, orienta Kalume, da consultoria Jato Dynamics. O serviço a seguir pode ajudar você nessa tarefa.

Em um leilão online

Essa é uma nova alternativa para quem tem bastante pressa para vender o carro. Em São Paulo, a empresa InstaCarro promete vender seu veículo em uma hora. Funciona assim: você faz uma cotação online do seu veículo e o serviço mostra os melhores preços que as mais de 1.000 lojas e concessionárias clientes da empresa ofereceram pelo seu carro.

Se você aceitar, leva o carro até a empresa para ser fotografado e inspecionado. Ele será vendido para a empresa que fizer a proposta mais alta, como em um leilão. Para intermediar essa negociação, a InstaCarro não cobra nada dos proprietários que querem vender seu carro, apenas dos lojistas compradores.

“Não vamos conseguir oferecer o preço dos carros expostos nos sites de classificados, mas uma proposta mais alta do que a que as concessionárias costumam oferecer para comprar seu carro. Nossa missão é ajudar vendedores a conseguir o melhor preço no menor tempo possível.”, explica Diego Fischer, CEO da empresa.