Preço de imóveis sobe abaixo da inflação pelo 8º mês seguido

No Rio de Janeiro, os preços avançaram de 0,01 por cento, enquanto em São Paulo tiveram alta de 0,09 por cento

Rio de Janeiro – O preço médio do metro quadrado de imóveis prontos anunciados em 20 cidades brasileiras subiu 0,13 por cento entre maio e junho, na oitava alta seguida abaixo da inflação, de acordo com o índice FipeZap Ampliado divulgado nesta sexta-feira.

“Tudo indica que a crise está longe de terminar”, disse à Reuters o coordenador da pesquisa, Eduardo Zylberstajn.

“Tudo o que ajudou o mercado imobiliário nos últimos anos – emprego, renda, crédito – hoje atua na mão contrária. Vamos conviver ainda por um tempo considerável de queda, pelo menos em termos reais nos preços”, completou.

Na comparação com o mesmo mês de 2014, o indicador teve alta de 4,52 por cento. O IPCA-15, a prévia da inflação oficial do país, acelerou a 0,99 por cento por cento em junho, acumulando 8,8 por cento em 12 meses.

Entre as cidades pesquisadas registraram queda na comparação mensal Vila Velha (-0,77 por cento), Niterói (-0,33 por cento), Curitiba (-0,03 por cento) e Recife (-0,04 por cento).

No Rio de Janeiro, os preços avançaram de 0,01 por cento, enquanto em São Paulo tiveram alta de 0,09 por cento.

O avanço mensal mais vigoroso ocorreu em Florianópolis, com alta de 2,17 por cento sobre maio. O preço médio do metro quadrado nas 20 cidades pesquisadas foi de 7.608 reais.

No Rio de Janeiro, o valor continua sendo o mais alto do país, de 10.643 reais, seguido por São Paulo (8.593 reais). Contagem (3.550 reais) e Goiânia (4.162 reais) registraram os valores mais baixos.