Poupança perde da inflação no 1º semestre de 2014

Segundo dados da Economática, descontada a inflação, o retorno da poupança foi de -0,26% nos primeiros seis meses do ano

São Paulo – Estudo realizado pela consultoria Economática mostrou que o rendimento da poupança ficou abaixo da inflação no primeiro semestre de 2014. 

Enquanto a caderneta rendeu 3,47% nos primeiros seis meses do ano, a inflação medida pelo IPCA foi de 3,75%.

Se calculado o retorno real da poupança no período (descontada a inflação), portanto, verifica-se um rendimento negativo de -0,26%.

Esse é o segundo pior retorno real da poupança para o periodo desde o início da série histórica do estudo, que começou em 1994.

Segundo a Economática, apenas em cinco semestres dos 21 anos analisados a poupança teve rendimento inferior à inflação: nos primeiros semestres de 2003, 2008, 2011, 2013 e no primeiro semestre deste ano.

Conforme lembra a consultoria, o cálculo real de um investimento não é feito apenas pela diferença entre a inflação do rendimento. Para chegar ao resultado é preciso fazer a divisão entre o retorno da poupança e o retorno do IPCA.

O retorno real negativo, de -0,26%, não significa que o investidor que aplicou 100 reais na poupança no início do ano tem menos do que 100 reais investidos hoje, mas sim que, com o aumento dos preços, esses mesmos 100 reais, acrescidos do rendimento de 3,47%, não são suficientes para comprar a mesma cesta de produtos que compravam antes.

Em outras palavras, o investidor da poupança perdeu poder de compra no semestre. 

Veja na tabela a seguir o retorno real da poupança nos primeiros semestres de 1994 a 2014:

Primeiro semestre referente a Retorno real (descontada a inflação)
1994 7,72
1995 7,87
1996 1,52
1997 3,23
1998 5,38
1999 3,61
2000 2,59
2001 0,94
2002 1,37
2003 -0,77
2004 0,34
2005 1,22
2006 2,54
2007 1,88
2008 -0,14
2009 1,12
2010 0,14
2011 -0,2
2012 0,97
2013 -0,11
2014 -0,26

E confira no vídeo a seguir como escolher um fundo seguro para fugir da poupança: