Os oito mandamentos para evitar cair em golpes na internet

Michal Salat, gerente da área de Inteligência de Ameaças da Avast, dá dicas para abrir contas e fazer transações financeiras online com segurança

Abrir conta e fazer transações financeiras pela internet é seguro desde que se tomem alguns cuidados, como ter um bom antivírus, verificar se o sistema da instituição é confiável e nunca abrir links enviados por mensagens.

Essas são algumas dicas de Michal Salat, gerente da área de Inteligência de Ameaças da Avast em Praga. A empresa é uma das maiores desenvolvedoras de softwares de segurança do mundo, com mais de 230 milhões de usuários de seus aplicativos.

Recentemente, a Avast adquiriu a concorrente AVG Technologies, elevando para 400 milhões o total de usuários, 160 milhões dos quais em dispositivos móveis.

Além de comentar os principais riscos a que os usuários estão sujeitos, Salat fez uma lista com oito mandamentos para quem quer evitar fraudes e roubos de informações na internet. A seguir, a entrevista feita por e-mail.

Blog Arena: Você acha que é seguro abrir uma conta bancária pela internet?

Michal Salat: Abrir uma conta bancária pela internet pode ser seguro se você puder se proteger e informar-se apropriadamente.

Primeiro de tudo, é importante que você esteja abrindo sua conta numa instituição que usa navegação segura (HTTPS) para criptografar a comunicação entre o site e o cliente.

Em segundo lugar, você deve visitar o site da instituição bancária digitando o endereço dela no seu navegador.

Em nenhuma hipótese deve clicar num link recebido por e-mail convidando você a abrir uma conta bancária, porque provavelmente será um golpe.

Terceiro, você deve ter antivírus instalado em todos os seus dispositivos como medida preventiva para evitar que cibercriminosos acessem quaisquer das suas informações pessoais, especialmente ao abrir uma conta bancária online.

Arena: Até que ponto é seguro fazer transações financeiras pela internet?

Salat: A segurança das transações financeiras pela Internet depende, em grande parte, da pessoa que a está executando online.

Ela nunca deve, por exemplo, abrir anexos ou links que recebe por e-mail parecendo serem do seu banco ou de uma loja virtual, pois isso pode ser um golpe de phishing.

As instituições financeiras são responsáveis por proporcionar aos seus clientes o máximo de segurança para proteger seus dados financeiros, e para protegê-los, por exemplo, contra malwares como o de ‘Boleto’, que atacou sistemas de pagamento no Brasil no ano passado.

Arena: Transações de comércio eletrônico são mais seguras do que as bancárias ou o risco é o mesmo?

Salat: O risco é o mesmo, mas para preservar a segurança aconselhamos os consumidores a não manterem as informações de cartão de crédito armazenadas em sites de compras.

A segurança das transações de comércio eletrônico também depende de cada loja. Mas lojas online que oferecem opções de pagamento com cartão de crédito são obrigadas a seguir o padrão PCI DSS da indústria de cartões, que regula o modo pelo qual elas podem armazenar as informações contidas nos cartões dos clientes.

Arena: O que os criminosos mais buscam: dados de cartões, dados bancários ou ambos?

Salat: Informações de cartões de crédito como o número, o nome do titular e o código de segurança (CVC) são as mais procuradas pelos criminosos.

Eles usam essas informações em transações para si mesmos ou as vendem no mercado negro da “deep web” (ou Web Invisível, que não é acessada pelos códigos normais da World Wide Web/www).

Como muitos bancos já exigem que seus clientes utilizem autenticação de dois fatores (como senha e depois letras), os criminosos já não buscam dados bancários.

Em alguns casos, os cibercriminosos buscam programas de pontos para depois vender as recompensas na deep web.

Quais seriam os “10 Mandamentos” para proporcionar segurança às suas transações?

Na verdade, são oito mandamentos. Se você seguir os mandamentos listados abaixo, estará bem perto de 100% de segurança ao fazer transações financeiras online.

Os Oito Mandamentos da Avast:

I – Instalarás antivírus em todos os teus dispositivos.

II – Usarás senhas fortes e originais para proteger tuas contas bancárias online e quaisquer outras contas online que contenham informações financeiras – ou, ainda melhor, use um gerenciador de senhas, fornecido por empresas de antivírus como a própria Avast.

III – Adotarás autenticação de dois fatores sempre que possível.

IV – Usarás teu próprio dispositivo quando fizeres transações financeiras ou compras online.

V – Não farás transações financeiras online por meio de Wi-Fi públicos ou abertos, a menos que utilizes uma VPN para proteger teus dados.

VI – Jamais abrirás um link ou anexo que receberes por e-mail supostamente do teu banco ou de uma loja, porque pode ser golpe.

VII – Utilizarás um browser seguro, que inclua um modo de operação especialmente seguro para compras online.

VIII – Conferirás se os sites onde farás transações financeiras estão protegidos com HTTPS (basta ver se há um cadeado verde na barra de endereços do navegador)