Os carros que mais agradam aos motoristas brasileiros

Segundo pesquisa da J.D. Power, modelos da Volks são os mais bem-avaliados entre os compactos; no geral, Toyota é considerada a melhor montadora

São Paulo – A consultoria americana J. D. Power, especializada em pesquisa de satisfação, divulgou nesta quinta-feira (28) seu primeiro estudo realizado com brasileiros proprietários de veículos. A Brasil Vehicle Ownership Satisfaction Study (Estudo de Satisfação com Proprietários de Veículos, numa tradução livre) elenca as montadoras e os carros mais bem avaliados por seus proprietários nas categorias subcompacto, compacto e médio.

Ranking das montadoras

1. Toyota: 821
2. Honda: 806
3. Citroën: 768

Média: 743
4. Chevrolet: 741
5. Volkswagen: 740
6. Renault: 735
7. Peugeot: 733
8. Fiat e Ford: 728

Entre as montadoras, Toyota, Honda e Citroën foram as únicas que conseguiram avaliação acima da média da indústria, de 743 pontos  de uma escala de zero a 1000. Segundo Jon Sederstrom, diretor geral da J. D. Power no Brasil, Toyota e Honda performaram muito bem em todas as categorias avaliadas.

Empatadas em último, Fiat a Ford apresentaram mau desempenho em diferentes quesitos. Ainda de acordo com o diretor da J. D. Power, a Fiat obteve nota baixa no item apelo, que inclui quesitos como desing, desempenho, conforto e recursos. Para a Ford, o que pesou foi o item qualidade e confiabilidade. Hyundai e Mitsubishi não encontraram representatividade suficiente para figurar no ranking.

Carros premiados

Apesar de ter ficado apenas em quinto lugar no ranking geral, a Volkswagen foi o destaque entre os premiados por categoria, com dois modelos laureados e outros dois entre os melhores. Os resultados das premiações não surpreenderam, com modelos populares como Gol, Celta, Civic e Corolla entre os mais bem avaliados por seus proprietários. O Honda Civic, campeão da categoria “carros médios” foi o que recebeu pontuação mais alta de seus proprietários. Confira a lista completa na página a seguir.


Foram feitas entrevistas online com cerca de 5.000 pessoas, com média de dois anos de propriedade de seus veículos. Os carros receberam avaliações quanto os custos gerais de manutenção, apelo (que inclui design, desempenho, conforto e recursos), experiência com o serviço prestado pela concessionária, além de qualidade e confiabilidade.

Carros Subcompactos

(Divulgação)

1. Volkswagen Gol Geração 5

O Gol provou porque é o carro mais vendido do Brasil. Se o custo foi o fator que mais pesou para os consumidores ouvidos na pesquisa, já há aí uma boa pista. As duas gerações mais recentes foram as mais bem avaliadas por seus donos na categoria subcompacto, que abrange veículos na faixa até 30.000 reais. O Novo Gol foi o preferido, com 731 pontos, fazendo jus às melhorias que a nova geração sofreu em dirigibilidade e até em design, ponto delicado para a Volkswagen. A pontuação com os quesitos qualidade e confiabilidade, bem como apelo foram consideradas altas pela pesquisa.

(Divulgação)

2. Volkswagen Gol Geração 4

O Geração 4, que em breve sairá de linha e é ligeiramente mais barato que o modelo da geração seguinte, quase encosta no irmão mais novo, e vem em segundo lugar com 728 pontos.

(Divulgação)

3. Chevrolet Celta

O terceiro mais vendido do Brasil vem em terceiro lugar em satisfação dos proprietários, com 714 pontos. Mais barato do que os modelos da Volkswagen, o Celta é também o carro que menos perde valor na hora da revenda, e seus custos de manutenção são bem baixos.


Carros compactos

(Quatro Rodas)

1. Volkswagen Crossfox

Na faixa entre 40.000 e 50.000 reais, o CrossFox foi o mais bem avaliado por seus donos, recebendo também um dos índices de satisfação mais altos da pesquisa, com 790 pontos de 1000. Apesar dos poucos itens de série, o que acaba encarecendo o carro mais equipado, a dirigibilidade é um destaque positivo, assim como o visual aventureiro.

(QUATRO RODAS)

2. Citroën C3

O Citroën C3 e o Volkswagen Voyage ficaram empatados atrás do CrossFox na categoria carros compactos, com 762 pontos. Barato para o segmento, o C3 apresenta também seguro em conta, boa dirigibilidade e uma quantidade interessante de opcionais de série.

(Quatro Rodas)

3. Volkswagen Voyage

O Voyage, quarto modelo da Volkswagen classificado entre os melhores, poderia ser considerado uma versão melhorada e um pouco maior do popular Gol, ainda em um preço em conta. Obteve a mesma pontuação que o Citroën C3, 762 pontos, o que configura empate, apesar da ordenação dada pela J. D. Power.


Carros médios

(Quatro Rodas)

1. Honda Civic

O Honda Civic foi o mais elogiado por seus donos. Fabricado pela montadora que ficou em segundo lugar no ranking geral de marcas, o sedã médio marcou a mais alta pontuação entre os modelos preferidos, com 830 pontos de 1000. O premiado sedã é aclamado pela crítica especializada com um dos melhores da categoria, ao lado de seu rival Toyota Corolla.

(Divulgação)

2. Toyota Corolla

O sedã médio mais vendido do Brasil vem logo atrás no ranking da sua categoria, com 807 pontos. A Toyota foi também considerada a montadora preferida pelos proprietários de seus veículos, mostrando que os japoneses vieram para ficar no gosto dos brasileiros, principalmente aqueles que podem pagar um pouco mais no seu veículo. Mas não é que o Corolla seja um automóvel de manutenção cara. Além de ser considerado um dos melhores sedãs médios do país, o modelo agrada aos brasileiros no quesito economia de combustível.

Quatro Rodas

( (Divulgação) )

3. Ford Focus

O desempenho da Ford no ranking das montadoras foi ruim, especialmente no quesito qualidade e confiabilidade. Ainda assim, a montadora emplacou o Focus no terceiro lugar entre os carros médios com 791 pontos, um dos índices de satisfação mais altos do estudo. Com boa dirigibilidade, o Focus apresenta também um custo-benefício interessante para o segmento.




A pesquisa da J. D. Power mostra que os brasileiros andam insatisfeitos com os custos de manutenção de seus carros e, por isso, consideram mais satisfatórios os modelos que apresentam melhor custo-benefício. O custo de propriedade, que inclui consumo de combustível, seguro e manutenção, foi o item considerado mais importante na avaliação dos proprietários, mas também foi o que gerou mais insatisfação, ficando com a nota geral mais baixa: 698. Essa é a maior diferença da pesquisa brasileira em relação aos países onde o mesmo levantamento é realizado. O item considerado menos importante, qualidade e confiabilidade, foi também o mais bem avaliado, com 780 pontos.

A insatisfação com os custos de propriedade é maior no segmento de subcompactos e compactos, os carros mais baratos, nas faixas entre 20.000 e 40.000 reais. De acordo com Jon Sederstrom, esses proprietários gastam uma proporção maior de seus rendimentos com a manutenção de seus veículos do que os donos de carros de maior porte. E cerca de 20% deles gastaram mais que o esperado com esse tipo de despesa, com destaque negativo para os valores de seguro.

“Nos outros mercados onde essa pesquisa é realizada – Canadá, França, Alemanha, México e Reino Unido – o apelo do veículo, que inclui design e dirigibilidade, é o fator mais importante. Os custos são os mais importantes apenas no Brasil e na Itália”, diz Sederstrom.