Os bancos que cobram as maiores e as menores tarifas

Veja como é possível utilizar um novo site da Febraban para reduzir suas despesas bancárias

São Paulo – Desde a semana passada, já é possível descobrir quais bancos cobram as maiores e as menores tarifas do mercado brasileiro sem sair de casa. A Febraban (maior associação de instituições bancárias do país) colocou no internet o site STAR, ou Sistema de Divulgação de Tarifas de Serviços Financeiros (clique aqui e veja ). Na página, é possível consultar dezenas de tarifas cobradas por todas as instituições financeiras filiadas. Para o consumidor, a grande dificuldade é que o site mostra quanto cada banco cobra por cada tarifa, mas não apresenta um ranking geral que mostre quais instituições costumam ser mais baratas ou caras. Cabe ao consumidor selecionar as tarifas que mais usa e os bancos em que gostaria de ter conta e somar todos os dados para chegar à opção mais econômica. Quem não quer ter todo esse trabalho pode usar como critério de seleção quanto cada banco cobra por um pacote de serviços básicos que foi definido pelo Banco Central para que as pessoas possam comparar com mais facilidade o custo de uma conta corrente. A cada mês, esse pacote permite que o correntista faça oito operações de saque, consulte quatro extratos do mês atual e dois do mês anterior e faça quatro transferências com cartão entre contas da própria instituição (não inclui transferências com cheque). Veja abaixo o custo:

Quanto os bancos cobram pelo pacote básico de tarifas  
Instituição financeira Valor mensal (em reais)
Banco Cruzeiro do Sul 25
Banco Alfa 22
Citi 18
Banco Safra 17
HSBC 17
Banco BMG 15
Sicredi 15
Banco da Amazônia 15
Banco Indusval Multistock 15
Caixa Econômica Federal 15
Bradesco 14,5
Banrisul 14
Santander 14
Mercantil do Brasil 14
Banestes 13,5
Banco do Brasil 13
Banco de Brasília 11,2
Banco do Nordeste 10,5
Itaú Unibanco 10,5
Banco Sumitomo Mitsui 0
Votorantim 0
Fonte: Febraban  

A tabela acima só é suficiente para tomar a melhor decisão no caso do cliente que deseje utilizar apenas aqueles serviços básicos. Caso tenha a intenção de tomar um empréstimo numa instituição financeira, por exemplo, o consumidor deverá comparar as taxas de juros cobradas por cada banco para aquela modalidade específica de crédito porque a diferença de custo entre uma dívida e outra costuma ser maior que a dos pacotes básicos de tarifas.

Além dos juros, há muitas outras coisas que devem chamar a atenção dos interessados em abrir uma conta bancária. A tarifa para a confecção de cadastro para o início de relacionamento com uma instituição financeira, por exemplo, não custa nada em bancos como Citi, Santander e Banco do Brasil. No Bradesco e na Caixa Econômica Federal, esse serviço sai por 30 reais. Já o Itaú Unibanco vai cobrar do cliente 50 reais – o que anula por alguns meses a vantagem do custo menor para a manutenção da conta no maior banco privado brasileiro em relação a seus rivais.


A melhor escolha depende, portanto, de que o próprio correntista monte uma lista com todos os serviços que costuma usar e consultar o valor cobrado por cada uma delas (clique e veja as tabelas) . A página fornece as tarifas para 19 serviços que estão entre os mais usados pela população. Para realizar a comparação ideal entre os valores cobrados pelos bancos, o consumidor deve somar todas as tarifas dos serviços que utilizará.

Caso tenha chegado à conclusão que pode valer a pena mudar de banco, o cliente ainda terá de levar alguns fatores em consideração. O primeiro deles é que os bancos grandes costumam oferecer maior comodidade para a utilização dos serviços. Quem mantém um relacionamento com o Bradesco ou o Itaú Unibanco terá muito mais facilidade de sacar dinheiro perto de casa quando precisar que o cliente de um banco pequeno. Para um bom pagador, outra vantagem de ficar no banco atual é que provavelmente o gerente do banco já sabe que pode confiar nele. Então a chance de conseguir taxas de juros mais atrativas na hora de pedir um empréstimo são maiores.

Por último, quem recebe o salário em determinado banco costuma ter algumas vantagens em relação aos demais clientes. Muitas vezes a empresa pagadora já negociou com a instituição financeira pacotes de isenção de tarifas para todos os empregados. O banco de dados da Febraban não tem como informar essas pessoas sobre esses casos específicos. O cliente terá então de buscar mais informações no próprio banco antes de tomar uma decisão.

Pacotes

Assim como as empresas de telefonia celular, os bancos oferecem aos clientes a possibilidade de contratar pacotes de serviços mensais. O preço dos serviços costuma ser inferior ao que seria pago se eles fossem contratados separadamente. Por outro lado, o cliente vai pagar pelos serviços mesmo que não os utilize em um determinado mês. A dica, portanto, é só contratar pacotes que incluam aquilo que realmente é necessário.


Antes de tomar a decisão, o consumidor deve saber que o governo não permite a cobrança de tarifas por diversos serviços bancários considerados essenciais. No caso das contas correntes, são gratuitos o fornecimento do cartão de débito, o envio de segunda via de cartão de débito desde ele não tenha sido solicitado pelo cliente, a emissão de 10 folhas de cheques por mês, a realização de quatro saques mensais em caixas automáticos, a consulta a dois extratos do mês, o levantamento de informações via internet, a realização de duas transferências de recursos entre contas do mesmo banco, a compensação de cheques e o fornecimento de um extrato anual com as tarifas cobradas.

Já para contas poupança são isentos de tarifa os serviços de fornecimento de cartão para movimentação, o envio de segunda via de cartão de poupança desde que essa não seja uma solicitação do cliente, a realização de dois saques por mês em caixas automáticos, a realização de duas transferências para a conta depósito de mesma titularidade, a consulta a dois extratos mensais, o levantamento das informações do correntista via internet e o fornecimento do extrato anual das tarifas cobradas pelo banco.

Agência X internet

A consulta ao novo banco de dados da Febraban também mostra a importância de evitar ao máximo o uso de serviços nas agências bancárias. Solicitar ao caixa uma transferência de recursos por meio de DOC ou TED custa 13,50 reais no Bradesco, BB ou Itaú. Caso a mesma operação seja realizada em um caixa eletrônico ou pela internet, o preço vai cair para 7,80 reais no Bradesco e no Itaú e para 8 reais no BB. A conclusão é que o consumidor que usa a rede mundial de computadores terá mais comodidade porque não precisará sair de casa e ainda deixará de pagar mais por um serviço igual.

O programa STAR da Febraban surgiu em 2007. Após o governo começar a discutir o controle das tarifas bancárias, os bancos decidiram tomar iniciativas no caminho de uma autorregulação das atividades. Com o novo site, a Febraban tenta dar maior transparência aos serviços prestados e esclarece que todas as instituições devem assegurar respostas sempre que os clientes tiverem dúvidas ou reclamações. Os clientes que se sentirem mal-atendidos ou prejudicados podem procurar as ouvidorias dos bancos – os telefones estão disponíveis nos sites e nas agências das instituições. Se ainda assim o problema não for resolvido, a questão pode ser levada ao serviço de atendimento ao público do Banco Central ou ao Procon local.