Onde investir R$ 1 mil por mês por um prazo de cinco anos?

Internauta pergunta quais investimentos podem garantir um bom retorno para uma aplicação de R$ 1 mil em um prazo de cinco anos

Dúvida do internauta: Sou estudante de engenharia e tenho certas dúvidas sobre o futuro. Atualmente estou investindo no Tesouro Direto, nas LTNs, um valor de 900 reais por mês porque ainda não conheço bem os títulos públicos. Mas tenho planos de investir 1 mil reais ao mês na poupança, mas, mesmo assim, o retorno em juros não é grande. A minha pergunta é onde investir esses 1 mil reais por mês para ter um retorno legal e resgatar o dinheiro daqui a cinco anos?

Resposta de Samy Dana e Alex del Giglio*:

A caderneta de poupança é o investimento mais popular do nosso país e continua atraindo muitos investidores pela facilidade e simplicidade da aplicação. Contudo, existem alternativas de investimento com risco equivalente e com expectativa de retorno muito mais atraente.

O seu investimento atual em Letras do Tesouro Nacional (LTNs) – títulos públicos negociados via Tesouro Direto -, por exemplo, é muito interessante, uma vez que o risco desse título é similar ao da caderneta de poupança e a rentabilidade é significativamente maior.

Assim sendo, considerando seus planos de investir 1 mil reais por mês no decorrer dos próximos cinco anos, aconselho a manutenção dos seus investimentos no Tesouro Direto, mas com alguma diversificação de carteira.

Isso significa que você deve adquirir outras modalidades de títulos públicos, os títulos pós-fixados. Esses títulos possuem seu valor corrigido por um indexador.

Para tanto, divida os recursos em três partes, alocando da seguinte forma:

• Um terço em Notas do Tesouro Nacional série B, título com rentabilidade vinculada à variação do IPCA, acrescida de uma taxa de juros definidos no momento da compra. Esse título permite ao investidor obter rentabilidade em termos reais, mantendo seu poder de compra ao se proteger das flutuações da inflação ao longo do investimento;

• Um terço em Letras Financeiras do Tesouro, títulos com rentabilidade vinculada à variação da taxa Selic, a taxa de juros básica da economia;

• Um terço nas LTNs, títulos pré-fixados com rentabilidade definida no momento da compra.

Com essa alocação de recursos você estará com uma carteira de renda fixa relativamente diversificada, em títulos pré e pós-fixados, o que lhe auxiliará na mitigação de riscos, além de proporcionar um retorno líquido de aproximadamente 0,8% ao mês, superior ao da caderneta de poupança.

Bons investimentos!

(*) Samy Dana é Ph.D. em Business, professor da FGV e coordenador do Núcleo de Cultura e Criatividade GV Cult. É consultor de empresas nacionais e internacionais dos setores real e financeiro e de órgãos governamentais, além de autor de livros de finanças pessoais. Esta resposta foi escrita em parceria com Alex Del Giglio, economista pela Univerisidade de São Paulo (USP), com extensão em finanças pela ESC Bordeaux e mestrado em Administração pela FGV. Responsável pela área educacional da Prime Finance Investimentos AAI Ltda., com sede em Manaus.

Perguntas, críticas e observações em relação a esta resposta? Deixe um comentário abaixo!

Envie suas dúvidas sobre planejamento financeiro e investimentos para seudinheiro_exame@abril.com.br.