Onde consultar as taxas cobradas pelas corretoras de valores

Conheça as taxas cobradas para investimento em Bolsa e no Tesouro Direto e saiba onde pesquisá-las

São Paulo – Se você pretende investir em ações ou no Tesouro Direto, um dos primeiros passos é a criação de uma conta em uma corretora. E verificar quais são as taxas cobradas por cada instituição é crucial para que você faça uma boa escolha.

Afinal, altas taxas podem sacrificar muito o retorno do investimento. Veja a seguir quais são as taxas cobradas pelas corretoras para esses tipos de investimento e onde consultá-las.

Taxa de corretagem

A taxa de corretagem é cobrada em cada operação de compra e venda de ações e outros ativos de Bolsa. Ela costuma variar de acordo com o tipo de mercado (à vista, fracionário etc.) e de operação, que pode ser day trade (quando a compra e venda ocorre no mesmo dia) ou normal (compra e venda em dias diferentes). 

Os preços também mudam de acordo com o tipo de serviço que a corretora disponibiliza. Portanto, vale prestar atenção nas ferramentas que você vai utilizar para não pagar por mais funcionalidades do que você realmente precisa.

Algumas corretoras cobram uma taxa de corretagem fixa por ordem de compra e outras utilizam a tabela Bovespa, cujas taxas são proporcionais à quantia movimentada (comprada ou vendida).

Ao investir no mercado fracionário, no qual as ações são compradas separadamente e não em lotes de cem ou mil, como é mais comum, a taxa fixa pode sair muito mais cara do que a tabela Bovespa. Nesse caso, a taxa fixa só vale a pena se for bem baixa e diferente da taxa cobrada no mercado padrão (compra de lotes).

Por exemplo, se o investidor aplicar apenas cem reais e pagar uma taxa fixa de dez reais de corretagem, ela já representa nada menos que 10% do valor investido. Se a quantia comprada for de mil reais, porém, o percentual de corretagem já cai para 1%.

Para o investimento de cem reais, a tabela Bovespa é mais vantajosa, já que para aplicações de até 135 reais, é cobrado um valor fixo de 2,70 reais (veja as outras taxas da tabela Bovespa).

Também é importante verificar as diferenças de preços cobrados para negociações pelo home broker (plataforma online) e para ordens enviadas por telefone (via mesa de operações), que costumam ser mais caras.

Segundo o site Bússola do Investidor, que divulga as taxas cobradas pelas corretora, nas operações no mercado à vista realizadas por home broker, as taxas de corretagem atualmente variam entre 1,99 reais e 25,21 reais.

Além da corretagem, a Bolsa cobra outras taxas do investidor (emolumentos, liquidação e registro), que não variam de uma corretora para a outra. Elas estão disponíveis no próprio site da Bovespa.

Onde pesquisar as taxas de corretagem: Site Bússola do Investidor

Taxa de custódia

A taxa de custódia é cobrada pela guarda das ações pela Bolsa e pelos serviços oferecidos pela corretora. É uma taxa fixa cobrada mensalmente e os valores variam de 6,90 reais a 50 reais por mês, segundo informações do site Bússola do Investidor.


A taxa de custódia na verdade é cobrada pela Bolsa de cada corretora, que pode ou não repassá-la integralmente ao cliente, assim como ocorre com outras taxas.

O cliente pode pedir à corretora que a custódia da ação não fique na Bolsa, mas sim no agente custodiante, para evitar a cobrança da taxa de custódia.

O único porém é que, quando o investidor ordenar a venda de suas ações, a operação pode demorar de três a cinco dias para ser processada, o que pode ser muito prejudicial caso o investidor precise contar com agilidade na venda dos ativos.

Onde pesquisar as taxas de custódia: Site Bússola do Investidor

Taxa de administração para investir no Tesouro Direto

A taxa de administração, também chamada pelas corretoras de taxa de custódia, é um percentual cobrado sobre o valor investido na compra dos títulos do Tesouro Nacional, que são vendidos pelo sistema Tesouro Direto.

Como é o investidor que decide qual título comprar, sem que isso envolva um trabalho de administração de carteira por parte da corretora, algumas realizam a operação sem cobrar taxas.

A isenção da taxa costuma ser usada como uma tática da corretora para atrair mais clientes e futuramente direcioná-los a outros investimentos que podem gerar mais valor para ela.

Além desta taxa, o Tesouro Direto conta ainda com uma outra taxa de custódia, cobrada pela Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC). Seu valor é 0,30% ao ano, e ela é obrigatória para todos os investidores, não variando de uma corretora para a outra.

Onde pesquisar as taxas de administração: Ranking de taxas do site do Tesouro Nacional.

Taxa de saque

Dependendo da corretora, o cliente pode ser cobrado pela realização de saques dos valores de sua conta. A taxa é aplicada quando a corretora repassa aos clientes os custos de transferências bancárias.

Onde pesquisar a taxa de saque: diretamente com a corretora.