O ABC dos termos e jargões da previdência

Conheça melhor os principais termos do mercado de previdência privada para planejar a sua aposentadoria

São Paulo – Você planeja financeiramente sua aposentadoria? Se a resposta for afirmativa, você já sabe o significado da expressão previdência complementar?

Na prática, o termo pode ser traduzido por aquela grana extra que lhe garantirá tranquilidade na fase em que resolver pendurar as chuteiras. Ainda que pareça simples, essa e outras expressões que envolvem o acúmulo de recursos para o futuro ainda são cercadas de mistérios. Preparamos uma lista para você nunca mais se perder entre tantas palavras e jargões financeiros.

Aportes adicionais

São contribuições a mais que se somam ao montante total de seu investimento. Se você recebeu uma grana extra e quer aplicar na previdência, o aporte pode ser feito a qualquer momento. A principal vantagem é a possibilidade de ter mais dinheiro guardado e com isso um rendimento maior.

Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL)

É um produto fortemente recomendado para quem faz a declaração de Imposto de Renda (IR) pelo formulário completo, pois permite a dedução das contribuições até 12% da renda anual do investidor. O plano repassa ao beneficiário os rendimentos totais obtidos no fundo em que o dinheiro foi aplicado.


Benefício

É a quantia que você recebe depois de todas as contribuições feitas no plano de aposentadoria. Há formas diferentes de receber seu dinheiro. As mais comuns são a renda mensal vitalícia (que envolve o pagamento de um valor mensal até o fim da vida) e a renda temporária (que implica o pagamento de um valor mensal por um prazo determinado).

Entre as modalidades de renda vitalícia, há o formato prazo mínimo de contribuição garantido e o reversível ao cônjuge e aos filhos. Existe ainda a chance de você sacar o total da grana e a renda por morte e invalidez.

Planos corporativos

Planos corporativos de previdência privada são oferecidos pelas empresas a seus funcionários. Para a empresa, a previdência é uma forma de retenção de pessoas. Com esse intuito, algumas companhias contribuem com porcentagens que podem chegar a 150% do valor depositado pelo funcionário. Já a vantagem em participar desses planos é que não existe nenhum investimento mais rentável do que ele no mercado.

Portabilidade

É o direito que o cliente tem de mudar de gestor do plano de previdência, desde que seja feito dentro da mesma categoria — por exemplo, de VGBL de uma seguradora para VGBL de outra seguradora. Há a possibilidade de mudar de instituição financeira mais de uma vez e mesmo após o período de acumulação. A mudança não gera custo para o cliente.


Tabela progressiva

Entre os regimes tributários do plano de previdência, que vão pautar a cobrança do Imposto de Renda sobre a aplicação, está a tabela progressiva, que segue as mesmas alíquotas cobradas do salário do trabalhador. Quanto maior o valor do benefício, maior a alíquota a ser cobrada em impostos. O valor varia de 0% a 27,5%, de acordo com o montante que será resgatado.

Tabela regressiva

Outro regime tributário é a tabela regressiva, que foi criada em 2005 para estimular os investimentos de longo prazo. As aplicações que permanecerem até o prazo mínimo de dois anos têm alíquota de IR de 35%. Com o passar do tempo, a cada dois anos a alíquota vai caindo até chegar a 10% para depósitos mantidos por dez anos ou mais.

Taxa de administração

É uma taxa financeira que incide sobre o total de dinheiro depositado no plano de previdência privado, inclusive sobre o rendimento. É cobrada uma vez por ano e costuma variar, em média, de 1% a 3,5%. É sempre possível negociar as taxas com o gestor.

Taxa de carregamento

É paga a cada novo depósito que você faz. Elas buscam cobrir os custos administrativos, como a venda de planos de previdência ou a emissão e envio de documentos obrigatórios.

O valor pode variar entre 0% e 5%, mas depois de alguns anos de contribuição as taxas caem drasticamente, chegando a 0% em muitos casos. Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL) é um plano semelhante ao PGBL, porém há uma diferença nos benefícios fiscais.

Os depósitos feitos no VGBL não podem ser deduzidos na base de cálculo do Imposto de Renda. A principal vantagem desse plano está na incidência de IR, que acontece somente sobre a rentabilidade do investimento, e não sobre o valor total.