Número de imóveis disponíveis em São Paulo cresce em 3 anos

Segundo pesquisa da Coelho da Fonseca, de 2011 a 2013 o estoque de imóveis residenciais passou de 9% a 31% e o aumento de preços foi menos acentuado

São Paulo – Mais um indicador retrata o menor ânimo dos compradores no mercado imobiliário de São Paulo. Segundo dados da imobiliária Coelho da Fonseca, de 2011 a 2013 o estoque de imóveis residenciais na cidade passou de 9% a 31%.

O nível de estoque mostra o percentual de unidades lançadas que não foram vendidas no ano.

De acordo com o levantamento, realizado pela equipe de inteligência da imobiliária, em 2011, das 38.635 unidades residenciais lançadas, 35.181 foram vendidas, restando 3.454 unidades em estoque (9%).

Já em 2013, das 35.641 unidades lançadas, apenas 24.716 foram vendidas e 10.925 ficaram estocadas (31%).

Aumento de preços

A pesquisa mostrou que entre 2008 e 2013 o preço médio do metro quadrado dos imóveis cresceu 156%, passando de 3.488,76 reais para 8.948,47 reais.

Quando esse período é dividido, no entanto, os dados mostram que a valorização tem sido menos acentuada nos anos mais recentes.

Enquanto o preço médio do metro quadrado na cidade subiu 57%, entre 2008 e 2010 – passando de 3.488,76 reais a 5.511,82 reais -, de 2011 a 2013 a valorização foi de 26% – com variação do preço médio de 7076,41 reais para 8.948,47 reais.

Imóveis de um dormitório

O estudo também segmentou os dados para retratar o comportamento do mercado de imóveis de um dormitório.

A pesquisa mostra que para esse tipo de imóvel, o aumento do preço médio do metro quadrado foi ainda maior entre 2008 e 2013, registrando valorização de 204% (com elevação do preço médio de 3.613 reais para 10.976 reais).

Os resultados também mostram uma desaceleração na variação de preços quando comparados os três primeiros e os três últimos anos do período.

Entre 2008 e 2010 a valorização foi de 51% (de 3.613 reais para 7.000 reais), enquanto de 2011 e 2013, o aumento foi de 26% (8.683 reais para 10.976 reais).

Também nesse segmento, houve um aumento no número de unidades estocadas. Entre 2011 e 2013, o volume do estoque passou de 8% a 26%.

Enquanto em 2011 ficaram estocadas 399 unidades dentre as 5.064 lançadas, em 2013 o estoque foi de 2.405 unidades frente a 9.260 unidades lançadas.