Justiça decreta falência da corretora Gradual Investimentos

A decisão atende a pedido da própria Gradual, que admitiu não ter recursos para honrar os compromissos

São Paulo – A Justiça de São Paulo decretou a falência da Gradual Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários. A decisão foi tomada em 28 de junho, na 1ª Vara de Falências, pelo juiz João de Oliveira Rodrigues Filho. A decisão atende a pedido da própria Gradual, que admitiu não ter recursos para honrar os compromissos.

O juiz nomeou para administrador judicial Argos Magno de Paula Gregório.

A corretora, que já foi uma das maiores do mercado, teve sua liquidação decretada pelo Banco Central em 27 de fevereiro de 2018, depois que a controladora da Gradual, Fernanda de Lima, e seu marido e diretor, Gabriel Gouvea, foram presos na Operação Encilhamento, acusados de irregularidades na venda de papéis para fundos de pensão de municípios, os chamados regimes próprios de previdência.

A corretora ficou à deriva durante semanas, sem comando e sem funcionários para atender os clientes, encerrou as atividades e definhou até que o Banco Central decretou a intervenção.