Fundo Verde, que rendeu 15.000%, é reaberto a investidores em hora difícil

O multimercado teve um desempenho impressionante desde que foi criado, em 1997. Neste ano, porém, está abaixo do CDI

São Paulo – O Verde, um dos fundos multimercado mais antigos e rentáveis do país, voltou a poder receber recursos de investidores. Com um patrimônio de quase 13 bilhões de reais, o fundo estava fechado para captação há anos. Entre 2015 e 2016, chegou a devolver 7 bilhões de reais aos cotistas.

A XP anunciou hoje a criação de um fundo espelho do Verde, com aplicação mínima de 50 mil reais e carência para resgates de 60 dias. A taxa de administração é de 2% ao ano e a de performance, de 20% sobre o que superar o CDI.

EXAME apurou que bancos e family offices também devem oferecer o Verde a clientes de alta renda.

Comandado pelo gestor Luis Stuhlberger, o Verde tem um desempenho impressionante desde sua criação, em janeiro de 1997. A rentabilidade acumulada é de 15.180% – enquanto o CDI ficou abaixo de 2.000%.

Recentemente, porém, os resultados pioraram. Em 2017, o Verde rendeu 5,3%, pouco mais da metade do CDI. Neste ano, de janeiro a agosto, o rendimento está em 3,9%, novamente abaixo do CDI, de 4,3%.

Os resultados têm sido prejudicados pela volatilidade eleitoral e também por crises externas, como as de Argentina e Turquia. No último relatório enviado a investidores, os gestores do Verde afirmaram que “a previsão de calmaria em agosto, após a melhora de sentimento de julho, e antes do início da campanha eleitoral, se provou grosseiramente errada”.

Como consequência dos números ruins, o fundo passou a sofrer resgates. Apenas neste ano, perdeu em torno de 1 bilhão de reais. “Faz 24 meses que o fundo não consegue superar o CDI. Muitos investidores têm uma visão imediatista e punem o gestor”, diz um assessor financeiro. “Mas nós ainda damos o benefício da dúvida, já que o histórico é muito bom.”

Segundo profissionais do mercado financeiro, o plano é captar entre 500 milhões e 1 bilhão de reais. Procurada, a Verde não comentou.