Fundos imobiliários são boa opção para o pequeno investidor?

Internauta tem 5 mil reais e pergunta se os fundos seriam boa opção para menores quantias

Dúvida de internauta: Sou um pequeno investidor e disponho de 5.000 reais para investir. Eu me senti atraído pelos fundos imobiliários, pois não possuem IR para pequenos investimentos e também pela possibilidade de todo mês receber parte do fluxo de caixa do empreendimento. Estava olhando uma demonstração de um fundo e vi que o valor distríbuido em um mês por cota foi de 1,02 real. E fiquei na dúvida se vale a pena investir em tal modalidade, mesmo com um valor pequeno desse.

Reposta de Arthur Vieira de Moraes*: 

Um dos motivos do sucesso dos fundos imobiliários nos mercados internacionais, onde o investimento existe há mais tempo, é justamente a possibilidade de pequenos e médios poupadores terem acesso a investimentos imobiliários de grande porte, alugados para empresas de primeira linha.

Investindo 5.000 reais em fundos imobiliários você poderá participar das receitas geradas por grandes imóveis como escritórios de alto padrão, shoppings, galpões etc.

Ainda que seu capital inicial seja baixo, é importante começar a investir. Melhor ainda se puder reinvestir os rendimentos mensais.

Inicialmente, os rendimentos que você receberá serão igualmente pequenos, porém alguns fundos possuem valor de face baixo, como 2,00 reais por cota (o que não significa que sejam baratos ou caros), isso permite que os rendimentos mensais sejam reinvestidos, mesmo quando são valores pequenos. Dessa maneira você terá um pouco mais de cotas a cada mês, aumentando o seu patrimônio gradativamente.

Os fundos imobiliários distribuem rendimentos em dinheiro. Você verificou que determinado fundo pagou 1,02 real em um mês. A partir daí poderá calcular a rentabilidade, que dependerá do preço que pagará pelas costas.

Alguém que tenha comprado cotas do fundo que você citou a 100,00 reais ao receber rendimento de 1,02 real vai apurar rentabilidade de 1,02%. Digamos que hoje em dia esse fundo esteja cotado a 170 reais na bolsa. Ao comprar cotas por esse preço, o mesmo rendimento (1,02 real) vai significar rentabilidade de 0,60%. Ou seja, dividindo o valor do rendimento mensal recebido pelo preço pago encontra-se a rentabilidade percentual (multiplique o resultado por 100).

Mas, a escolha do fundo a investir não deve ser tomada apenas olhando o último rendimento distribuído, pois pode ser que o valor varie ao longo dos meses. 


Por exemplo, um Fundo de Investimento Imobiliário que investe em shopping center cobra dos lojistas um aluguel composto por um valor fixo ou um percentual do faturamento da loja (dentre os dois o que for maior). Portanto, é comum que o rendimento mensal desse fundo varie mês a mês, conforme o movimento do shopping. Ao avaliar somente o último rendimento, você poderia tomar sua decisão de investimento baseado no resultado de um mês de movimento excepcional, como o mês de maio em função do dia das mães, e frustrar-se com rendimentos menores nos meses seguintes.

Já fundos que investem em escritórios ou galpões costumam ter rendimentos estáveis, que pouco ou nada variam ao longo dos meses.

Outro ponto importante é verificar se o rendimento não é fruto de renda mínima garantida. Alguns fundos pagam um valor fixo por um determinado período de tempo. Muitas vezes esse valor mínimo é maior do que as receitas realmente geradas pelos imóveis do fundo. Quando o prazo termina pode acontecer uma queda no valor dos rendimentos mensais e até mesmo queda no preço das cotas. Veja quando um fundo pode “garantir” rentabilidade

Por fim, outros fatores, além dos rendimentos, devem ser avaliados para que sua escolha seja bem fundamentada. Veja 9 passos para escolher um bom fundo de imóveis.

Encare o investimento em FII como se fosse investir em um imóvel. Tenho certeza que antes de comprar um apartamento para investir você iria comparar vários imóveis, verificar se são bem localizados, se o bairro é bom, bem servido de transporte público, etc. Faça o mesmo com os fundos imobiliários. Procure a ajuda de um profissional, entenda os riscos do investimento, Informe-se e seja criterioso para escolher bons fundos. Pouco ou muito, seu dinheiro merece esse esforço!

Arthur Vieira de Moraes é advogado, agente autônomo de investimentos, especialista em fundos imobiliários e instrutor da Ancord

Dúvidas, observações ou críticas sobre esta resposta? Deixe um comentário abaixo!

Envie outras dúvidas financeiras para seudinheiro_exame@abril.com.br.