Em Sorocaba, cresce o segmento de alto padrão

Cidade demorou a engrenar o mercado imobiliário de alto padrão, porém, esse perfil já ficou para trás

Sorocaba – Há duas décadas, iniciou o crescimento de lançamentos imobiliários no interior de São Paulo, atraindo para fora da capital as famílias que buscam viver em ambiente não cosmopolita. Outro fator a influenciar a demanda e a oferta por moradias no interior é o crescimento do parque industrial das cidades paulistas bem localizadas quanto à proximidade com a capital, e também às facilidades para o fluxo da produção.

Apesar de ter os requisitos atrativos, entre eles o desenvolvimento industrial e comercial – Sorocaba, a cerca de 90 km da capital paulista, demorou a entrar no rol de interesse do setor imobiliário.

Quando se tratava de empreendimentos residenciais de alto padrão, a quinta cidade do estado de São Paulo em desenvolvimento econômico ficava atrás de municípios vizinhos economicamente menos atrativos, como Itu, Araçoiaba da Serra, Porto Feliz e Jundiaí.

Agora, já não fica. Nos últimos três anos, foram lançados na cidade inúmeros empreendimentos residenciais, verticais e horizontais, vários de alto padrão. Somente a MRV Engenharia – com presença em nada menos do que 50 cidades paulistas, e outras tantas em diferentes estados brasileiros, está levantando em Sorocaba oito torres nas proximidades do Esplanada Shopping, na região do bairro Campolim, a mais valorizada da cidade.

Quanto aos empreendimentos que ofertam lotes, Sorocabana reúne atualmente nove deles, no mínimo. A Q! Notícia, agência de comunicação local, realizou um levantamento sobre os preços praticados na cidade pelos condomínios de lotes, e constatou que o menor preço (R$ 230/m2) é o de terrenos no Residencial Saint Patrick, enquanto o maior valor (R$ 1.444,44/m2) foi verificado no Residencial Angelo Vial. Na média, o preço mínimo do m2 de terrenos em loteamentos da cidade é de R$ 734,81.

Nos empreendimentos horizontais sorocabanos, a metragem média dos lotes é de 397,5 m2, sendo o menor terreno no Residencial Granja Olga, com 275 m2; e o maior no Condomínio Isaura, com 540 m2, excluindo o Saint Patrick, que tem lotes de 1 mil m2.


O custo em relação ao benefício – A oferta de terrenos maiores, segundo o diretor da Imobiliária Sorocaba – que comercializa os lotes do Sain Patrick, Sérgio Jacinto, têm uma relação de custo e benefício que importa, principalmente, para quem cultiva privacidade.

“(Antes), o morador que buscava privacidade tinha que comprar dois ou três terrenos e, mesmo assim, (poderia) conviver com a janela do vizinho virada para o seu quintal”, argumenta Jacinto.

Compartilha da opinião de Jacinto o vice-presidente do Interior e diretor geral do Sindicato da Habitação (Secovi-SP) em Sorocaba, Flavio Amary, acrescentando que o quesito privacidade familiar, proporcionado por terrenos amplos que dispensam muros altos em função de contexto adequado, pesa positivamente na relação custo e benefício. “É também um fator de valorização”, acrescenta Amary.

O professor da Escola Superior de Administração e Marketing (Esamc) de Sorocaba, economista João Moura, lembra que localização também soma aos argumentos de Jacinto e Amary, quando se trata de dosar o benefício de um investimento imobiliário. “Eixos importantes de Sorocaba, como a região do Campolim, por exemplo, que já possui uma infraestrutura de serviços completa, favorece a valorização do lote”, comenta João Moura.

Sobre Sorocaba

Localizada na Região Sudeste de São Paulo, a cerca de 90 km da capital, Sorocaba é a quinta cidade do estado em desenvolvimento econômico. Sua produção é exportada para além de 120 países. O Produto Interno Bruto (PIB) é de R$ 9,5 bilhões, a cidade é sede de mais de 22 mil empresas e tem população (Censo IBGE 2010) de 586.625 habitantes. Saiba mais sobre Sorocaba.