Em qual título do Tesouro Direto devo investir?

Prefixado ou pós-fixado? Indexado à Selic ou ao IPCA? Escolha o título público de acordo com o seu objetivo

São Paulo – O Tesouro Direto é a opção mais segura de investimento para você fugir da poupança e ter um rendimento melhor. Qualquer um pode emprestar a partir de 30 reais ao governo e ser remunerado por isso, basta procurar um banco ou uma corretora para intermediar essa negociação e escolher o título público que melhor se encaixa no seu objetivo.

Opa, essa parte parece difícil demais? Afinal, é melhor um título pré ou pós-fixado? Tesouro Selic ou IPCA? Com ou sem juros semestrais? Fique tranquilo, é mais fácil do que parece entender a sopa de letrinhas do Tesouro. O importante é ter claro qual o objetivo desse investimento na sua vida e quando você pretende usar esse dinheiro.

O Tesouro pode servir tanto para juntar recursos por um longo período para a aposentadoria, por exemplo, como para ter uma reserva financeira para usar quando for preciso.

Cada título tem uma data de vencimento, que atualmente varia entre 2019 e 2050. No entanto, você pode recomprá-lo, para manter seu dinheiro aplicado, ou vendê-lo a qualquer momento, antes do prazo, para resgatar seu dinheiro com rentabilidade. Veja as opções a seguir e escolha a melhor para você:

1. Indexado à Selic

É um título pós-fixado, ou seja, você pode estimar sua rentabilidade, mas só terá certeza de quanto dinheiro exatamente renderá na data de vencimento ou quando resgatar. Isso porque ele rende uma taxa predefinida no momento da compra do título mais a variação da Selic, a taxa básica de juros.

Neste momento, vale muito a pena aplicar no Tesouro Selic, porque a taxa de juros está alta e, apesar das projeções de queda no médio prazo, ela deve continuar em um nível elevado. Por isso, é o investimento ideal para quem tem um objetivo de curto prazo ou quer manter sua reserva financeira nessa aplicação, como o explica o consultor financeiro Jurandir Macedo.

Outra vantagem é que o valor de mercado desse título tem baixa volatilidade, o que evita perdas de rentabilidade se o investidor quiser vendê-lo antes do vencimento. É o título mais indicado para quem não sabe exatamente quando precisará resgatar seu investimento.

2. Indexado ao IPCA

Os títulos indexados ao IPCA também são pós-fixados, mas rendem uma taxa predefinida no momento da compra do título mais a variação da inflação, medida oficialmente pelo IPCA.

A principal vantagem desse título é que ele protege o seu dinheiro da inflação, o aumento generalizado dos preços, no período. Isso significa que ele proporciona rentabilidade real, ou seja, garante o poder de compra do seu dinheiro. Assim, não importa a variação da inflação, a rentabilidade do título sempre será superior a ela.

Por isso, esse é o título mais indicado para juntar dinheiro para a aposentadoria ou para outros objetivos de longo prazo, como a compra de uma casa ou a faculdade dos filhos.

3. Indexado ao IPCA com juros semestrais

É um título posfixado indexado à inflação, também indicado para quem tem objetivos de longo prazo, como a aposentadoria. A diferença é que o seu rendimento é pago ao investidor a cada seis meses, e não somente na data de vencimento.

Ele é indicado para quem precisa que o investimento pague uma renda, como na aposentadoria, por exemplo.

Vale lembrar que, no pagamento desses rendimentos semestrais, há desconto de Imposto de Renda (veja o passo a passo sobre como calcular o imposto a ser pago). Por isso, só compre um título com juros semestrais se você realmente precisa da renda a cada seis meses.

4. Prefixado

Diferente dos títulos anteriores, você sabe exatamente a rentabilidade que irá receber ao comprar um título prefixado. Isso porque ele rende somente a taxa prefixada e não é indexado à Selic ou à inflação.

Isso torna o título prefixado mais arriscado do que os pós-fixados, porque é necessário descontar a inflação no período para obter seu rendimento real. Assim, esse título não leva em conta o aumento generalizado dos preços e a perda de valor do dinheiro no tempo.

Por isso, ao investir, não importa o rendimento que tenha no final, você não tem garantia que conseguirá comprar o mesmo que antes com essa quantidade de dinheiro. “Se a taxa de juros e a inflação subirem muito nesse período, a sua rentabilidade real pode ser negativa”, explica Macedo.

Títulos prefixados só são indicados se você tem algo para comprar no futuro e já tem certeza do preço hoje, ou se você quer especular, apostando que a taxa prefixada pelo Tesouro será maior que a Selic, que sobe para controlar a inflação alta.

“Para o governo, vender títulos prefixados é bom porque ele consegue programar quanto receberá lá na frente. Para as pessoas, é mais arriscado”, explica a professora de finanças Juliana Inhasz, do Insper.

Títulos prefixados são mais indicados em momentos da economia de menos instabilidade, em que as taxas de inflação e de juros estão baixas.

5. Prefixado com juros semestrais

É um título prefixado com as mesmas características citadas acima, porém o seu rendimento é pago ao investidor a cada seis meses, e não somente na data de vencimento. Normalmente, ele é indicado para quem precisa que o investimento pague uma renda, como na aposentadoria.

Porém, nesse momento da economia, só vale investir nesse título se você apostar que a taxa prefixada ficará acima da Selic, o que é pouco provável que aconteça, segundo Juliana. 

Como funciona o Tesouro Direto?

Não importa o título público que você escolha, o Tesouro Direto é um investimento de pouco risco, porque mesmo com as contas públicas apertadas, a chance de o governo quebrar e dar calote no investidor é muito remota (entenda por quê).

Os bancos ou corretoras são apenas intermediários nessa negociação, mas podem ajudá-lo nessa escolha do melhor título para você. Veja como eleger sua corretora e o passo a passo para investir.

Você pode comprar um ou mais títulos públicos inteiros, que atualmente custam a partir de 486,21 reais (Tesouro prefixado, com vencimento em 2023), ou uma fração de um título no valor que desejar, a partir de 30 reais.

No site do Tesouro Direto, você encontra os títulos públicos à venda e um simulador para estimar a rentabilidade de cada um. Lá também há a ferramenta Orientador Financeiro, que indica o título mais indicado para você, a partir de um questionário rápido para você responder.