Em maio, ganho real da poupança em 1 ano é o pior desde 2003

A poupança já é o pior investimento deste ano

São Paulo – No mês passado, os rendimentos reais (acima da inflação) da poupança tiveram seu pior resultado desde outubro de 2003. Pelo sexto mês seguido, as cadernetas registraram queda no poder de compra, rendendo menos que a inflação do período.

A poupança já é o pior investimento deste ano e em 12 meses, segundo dados da Economática, usando como referência o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Os dados explicam por que as cadernetas apresentam forte saída de recursos neste ano. Até maio, os resgates líquidos da poupança atingiram R$ 32,3 bilhões, mais que toda a captação do ano passado.

Os investidores têm procurado outras opções com rentabilidade mais alta, como as Letras de Crédito Imobiliário (LCI) ou do Agronegócio (LCA), que são isentas e pagam mais de 90% do CDI, enquanto as cadernetas pagam em torno de 70% do CDI.

Até mesmo fundos DI com taxa de administração inferior a 2,5% ao ano conseguem ganhar das cadernetas, pagando imposto de renda.

Só em maio, descontada a inflação, os rendimentos do investidor foram de -1,06% na série anualizada. Na comparação em 12 meses, a poupança ganha apenas do Índice Bovespa, que marcou -5,07%.

Em 2015, o poder aquisitivo da poupança caiu 2,15%, enquanto o ouro teve ganho real de 14,12%. A liderança das aplicações em 12 meses ficou com o dólar Ptax (média do dólar comercial calculada pelo Banco Central) para venda, com aumento real de 30,88%.

Dos 50 meses do governo de Dilma Rousseff até o último mês, 23 apresentaram queda de poder aquisitivo na aplicação. Trata-se do quarto mês consecutivo que o poupador perde na análise anual dos rendimentos.

Durante a gestão da petista, a poupança teve ganho de poder aquisitivo de 0,5% acima do IPCA. Na ponta negativa, a pior aplicação foi da bolsa brasileira, com o Ibovespa recuando 43,11%.

Já o melhor investimento no governo Dilma, descontado o IPCA, foi o dólar Ptax, com valorização de 42,57%.