É seguro pegar empréstimo em uma fintech com taxas mais baratas?

Especialista responde dúvida de leitor sobre crédito pessoal. Envie você também sua pergunta

Pergunta do leitor: “Um amigo me indicou uma fintech para pegar um empréstimo pessoal, que promete cobrar taxas mais baratas do que o banco. É seguro? Vale a pena?”

Resposta de Marcela Kawauti*: 

A tecnologia está cada vez mais presente na vida das pessoas e, com isso, os bancos e outras instituições financeiras digitais vem ganhando espaço. Eles possuem a vantagem de apresentar menos burocracia e mais comodidade no atendimento em comparação aos bancos tradicionais. Além disso, a entrada de novos agentes no mercado é bastante positiva para o consumidor: maior concorrência leva à cobrança de taxas de juros mais atrativas.

Mas, como o número de fintechs cresceu de maneira muito rápida e o mercado é relativamente novo, uma grande parcela da sociedade ainda está se adaptando a tanta novidade. Somado a isso, sabemos que, na internet, há  tentativas diárias de golpes e fraudes. Por isso, você faz muito bem em se preocupar com a segurança dos seus dados e do seu dinheiro. A boa notícia é que existem opções vantajosas e seguras, sim. Basta tomar alguns cuidados.

Em primeiro lugar, é importante saber que as novas instituições digitais que realizam operações de crédito diretamente são regulamentadas e autorizadas pelo Banco Central. Sendo assim, se estiver inseguro com relação a idoneidade da empresa, cheque sempre no site do BC se ela está devidamente autorizada pelo órgão.

Apesar disso, nem todas as fintechs que oferecem empréstimo realizam as operações de fato. Muitas vezes, elas servem apenas como intermediárias entre bancos ou financeiras e o consumidor. Nesse caso, verifique as avaliações e as queixas mais comuns dos demais clientes em sites de reclamação ou nas redes sociais.

No caso específico dos empréstimos pessoais, fique atento também às fraudes que podem solicitar o pagamento antecipado de alguma quantia para liberar o crédito. Nunca pague nenhum boleto ou transfira qualquer quantia antes de ter seu empréstimo, nem mesmo se for relativo a taxas administrativas.

Além dos cuidados acima, é preciso ter em mente que, quando se está com a corda no pescoço, é comum correr para os créditos mais fáceis e rápidos de se obter, dando pouca atenção aos termos e garantias pedidas. Então, para tornar a situação a mais vantajosa possível para você, conheça todas as condições e tire todas as suas dúvidas antes de fechar negócio.

As fintechs costumam ter canais de atendimento e suporte online, que permitem que você pergunte tudo o que achar necessário. Pesquise e compare as diferentes propostas de fintechs e bancos tradicionais. O que realmente importa é o chamado Custo Efetivo Total (CET) da operação, que inclui, além da taxa de juros, os demais encargos que podem ser cobrados.

Por fim, antes de contrair o empréstimo, é necessário se planejar para garantir que você conseguirá pagar as parcelas em dia. Para isso, organize suas contas com antecedência e determine exatamente a quantia que será necessária e quanto poderá pagar por mês. Tomando os devidos cuidados, é possível usufruir das vantagens proporcionadas pelas startups financeiras sem medo. 

*Marcela Kawauti é economista-chefe do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e colabora com o portal Meu Bolso Feliz.

Envie suas dúvidas sobre investimentos para seudinheiro_exame@abril.com.br.