É arriscado confiar no governo e investir no Tesouro Direto?

Especialista responde dúvida de leitor sobre investimentos. Envie você também sua pergunta

Pergunta do leitor: O Tesouro Direto parece ser um investimento muito interessante, mas ainda tenho algumas dúvidas sobre ele. Esse tipo de aplicação financeira tem risco? Posso resgatar o dinheiro antes do prazo de vencimento? E se eu começar com R$ 30, posso aumentar o valor durante o investimento?

Resposta de Beto Veiga*: 

O Tesouro Direto é realmente uma opção de investimento muito interessante. A plataforma de aquisição de títulos públicos para os pequenos investidores já reúne cerca de um milhão e quinhentas mil pessoas que compram esses papéis.

O Tesouro Direto mudou a perspectiva do mercado financeiro para investidores iniciantes. A partir dessa ferramenta, as taxas de juros pagas pelos bancos começaram a aumentar, como forma de reter os investidores.

Antes do Tesouro Direto, as pessoas estavam dispostas a ganhar menos com mais risco. Compravam os investimentos dos bancos, que são mais arriscados do que o Tesouro Nacional, para receber menos juros.

Sobre o risco, todo investimento tem. Se você escolher o título certo do Tesouro Direto, pode investir na aplicação financeira com menor risco do mercado. Sugiro que você comece pelo Tesouro Selic.

Sobre o resgate antes do prazo, vale entender que a plataforma é para compra e venda de títulos. O que isso quer dizer? Quando você faz aplicação em um banco, em geral, você coloca o dinheiro e espera uma determinada data para sacar ou resgata o dinheiro a qualquer momento.

No caso do Tesouro Direto, você vai comprar um título ou um pedaço dele. No caso do Tesouro Selic, esse título vai valorizar e você vende quando quiser o dinheiro de volta, pelo preço que estiver naquele momento da venda. Você ganha a diferença do preço de compra e de venda. Por isso, não há problema quanto à data de vencimento.

Para a compra do título Tesouro Selic, o valor mínimo de aplicação é por volta de uns noventa e poucos reais. Como você está comprando partes do título, pode comprar quantas quiser e a qualquer tempo.

A sua preocupação é que os valores terão que ser múltiplos de noventa e poucos reais, ou seja, você não pode aplicar 150 reais, mas noventa e poucos, ou cento e oitenta e poucos, e por aí em diante. Isso tudo para o caso do Tesouro Selic, que é o recomendado para quem está iniciando.

Finalmente, indico a aquisição de títulos públicos por meio do Tesouro Direto para quem quer dar os primeiros passos rumo a uma melhor compreensão do mercado financeiro.

*Beto Veiga é doutor e mestre em Economia pela UnB, advogado especialista em direito do sistema financeiro, professor de direito bancário e autor do livro “Case com seu banco com separação de bens”.

Envie suas dúvidas sobre investimentos para seudinheiro_exame@abril.com.br.