Preço de moedas varia até 70% entre casas de câmbio

A moeda de maior variação foi o peso argentino, seguido do peso colombiano e do peso uruguaio. Veja os resultados

São Paulo – Um estudo da Meu Câmbio constatou que a variação de preço de moedas entre uma casa de câmbio para outra pode chegar a 70%.

Em outubro, dado mais recente da pesquisa, a moeda com a maior variação de preços encontrada (70%) foi o peso argentino, seguido do peso colombiano, com 55% e do peso uruguaio, com 37%.

Já a cotação do dólar americano pode variar até 17% entre as casas de câmbio e, o euro, 12%, segundo o site comparador de preços de moedas. A diferença entre as cotações praticadas no carregamento de cartões pré-pago é menor, mas ainda é relevante: oscila em até 15% para compra do Euro e 13% para a compra de dólar americano.

As casas de câmbio tendem a embutir nas cotações praticadas de dólar taxas que reflitam o custo de suas operações. Por isso o valor varia de um lugar a outro. Como a diferença pode ser grande, conforme mostra a pesquisa, vale a pena pesquisar qual é a melhor cotação.

O levantamento da Meu Câmbio foi feito com base no VET do Banco Central (BC), ferramenta que ranqueia instituições que comercializam moeda estrangeira, mostrando onde o custo da operação é mais vantajoso para o viajante. 

Os valores que o BC divulga no ranking se referem a uma média das operações realizadas por cada corretora no mês anterior à publicação da lista. O número já inclui tarifas e o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

Veja abaixo os resultados completos da pesquisa feita pela Meu Câmbio em outubro tanto para moedas em espécie como cartões pré-pagos. As moedas estão ordenadas da maior para a menor variação encontrada:

Moeda em espécie Variação máxima encontrada
Peso Argentino 70%
Peso colombiano 55%
Peso Uruguaio 37%
Peso chileno 32%
Peso mexicano 30%
Renminbi 25%
Rand 25%
Libra Esterlina 20%
Dólar canadense 19%
Dólar americano 17%
Dólar da Nova Zelândia 14%
Euro 12%
Franco suíço 11%
Dólar australiano 10%
Cartão pré-pago Variação máxima encontrada
Euro 15%
Dólar australiano 14%
Dólar americano 13%
Peso Argentino 12%
Dólar canadense 11%
Libra Esterlina 11%
Dólar da Nova Zelândia 8%

Planeje a compra

Especialistas recomendam a compra dos dólares necessários para a viagem ou pagamento de contas no exterior em datas diferentes. Com isso, é possível aproveitar cotações variadas e minimizar os riscos.

Ao seguir a estratégia, não se deve fazer as compras aleatoriamente. É preciso se comprometer a comprar dólar sempre que houver algum movimento de queda. Será preciso, portanto, ficar atento ao noticiário.

Para quem está indo para o exterior, a recomendação é levar uma parte menor de recursos em dinheiro vivo e colocar a maior parte em um cartão pré-pago. O cartão protege em caso de roubo ou perda, já que pode ser facilmente bloqueado e substituído onde você estiver.

Os cartões possuem bandeiras diferentes, são aceitos em todo o mundo e podem ser solicitados em casas de câmbio, agências de intercâmbio, em sites ou por telefone.

A recarga pode ser feita remotamente e você consegue controlar o extrato de gastos online. Por isso, é uma opção também para os pais que estão mandando seus filhos para estudar no exterior.

É importante lembrar, porém, que o IOF cobrado nas recargas de dólar em cartões pré-pagos é de 6,38%, enquanto que a taxa para a compra da moeda em espécie é de 1,10%.