Corretoras indicam ações para momentos de crise

Apesar da desvalorização dos papéis, especialistas aconselham cautela nos investimentos

Com a queda de 3% no Índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Ibovespa) neste ano, não são poucos os investidores que devem estar se perguntando se está na hora de colocar em prática a máxima do mercado de ações que diz compre na baixa para vender na alta. A resposta para esta questão seria simples se fosse possível afirmar que as ações estão baratas. Mas o que os especialistas dizem é que não há nada que garanta que os papéis voltarão a subir no curto prazo.

“Ninguém sabe onde está o fundo do poço. Quem comprar agora pode achar que está pagando um bom preço, mas não está livre de ver o papel cair ainda mais nos próximos dias”, diz Bolívar Godinho Oliveira Filho, professor de Finanças da Fundação Instituto de Administração (FIA).  

O momento é de muita incerteza, em função da crise desencadeada pelas hipotecas de alto risco nos Estados Unidos. E, como não há previsões de mudança nesse cenário, a dica dos especialistas é: tenha cautela ao investir no mercado acionário. “Isso não quer dizer que o investidor deva vender todas as ações de sua carteira. Mas, sim, manter aplicado somente o dinheiro que tem certeza que não precisará utilizar tão cedo”, explica o professor da FIA.

Os analistas aconselham manter na carteira as ações de empresas com fundamentos sólidos, como Vale do Rio Doce e Petrobras. Os papéis de empresas voltadas para o mercado interno também são bem vindos, já que sofrem menos com as oscilações no mercado externo.

Confira abaixo a carteira sugerida por cinco corretoras para os momentos de maior instabilidade na Bolsa.

Intra**
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
Souza Cruz CRUZ3 Não informado  45,84  ———–
Itaúsa ITSA4 Não informado  10,50  ———-
Petrobras PETR4 Não informado 74,95  ———-
Vale do Rio Doce VALE5 Não informado  47,70  ———-
** Elaborado pela consultoria Lopes Filho    
Alpes
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
Transmissão Paulista TRPL4 47,00  40,69 15,51
Bradesco BBDC4 63,50  51,45  23,42
CSN CSNA3 76,50  67,02  14,15
Petrobras PETR4 110,00  74,95  46,76
Vale do Rio Doce VALE5 68,00  47,70  42,56
Ágora
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
CPFL Energia CPFE3 44,00  36,82  19,50
Eternit ETER3 12,46  7,21  72,82
Embraer EMBR3 26,00  17,32  50,12
Ambev AMBV4 166,00  138,50  19,86
Confab CNFB4 7,25  5,00  45,00
Link
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
AES Tietê GETI4 85,00  56,97  49,20
Ambev AMBV4 175,00  138,50  26,35
Aracruz ARCZ6 17,00  11,60  46,55
Bradesco BBDC4 75,00  51,45  45,77
CCR Rodovias CCRO3 39,00  27,65  41,05
CPFL Energia CPFE3 46,00  36,82  24,93
Duratex DURA4 52,00  34,34  51,43
Itaúsa ITSA4 16,50  10,50  57,14
Perdigão PRGA3 56,00  43,22  29,57
Sabesp SBSP3 60,00  40,60  47,78
São Carlos SCAR3 19,00  14,10  34,75
Tractebel TBLE3 30,00  20,10  49,25
Elite
Empresa Ação Preço-alvo (R$) Preço atual (R$)* Potencial de alta (%)
Bradesco BBDC4 69,00  51,45  34,11
Itaúsa ITSA4 16,00  10,50  52,38
Petrobras PETR4 111,00  74,95  48,10
Telesp TLPP4 64,00  44,50  43,82
Vale do Rio Doce VALE5 64,00  47,70  34,17
CSN CSNA3 83,00  67,02  23,84

*Fechamento de 18/03/08
Fonte: corretoras e Bovespa