Como uso o Tesouro Direto para poupar para a aposentadoria?

Internauta quer saber como se usa o Tesouro Direto para planejar a aposentadoria complementar

Dúvida do internauta: Como faço para usar o Tesouro Direto para poupar para a aposentadoria? Já faz alguns anos que invisto no Tesouro Direto, mas ainda não entendi como posso utilizá-lo como previdência privada.

Resposta de Fabiano Pessanha*:

Os fundos de previdência e os títulos do Tesouro Direto têm um papel de destaque no portfólio dos investidores brasileiros. Em outra resposta, expliquei como fazer para investir no Tesouro Direto, que é uma boa alternativa à previdência privada e complementa a aposentadoria pelo INSS.

Sugiro a você, que tem um horizonte de tempo bastante confortável e já realiza seus investimentos via Tesouro Direto, que mantenha seus investimentos até o seu vencimento, evitando qualquer volatilidade decorrente da oscilação das taxas de juros durante o período.

No Tesouro Direto, o investidor é o gestor de sua própria carteira de investimentos, ao escolher prazos e indexadores dos títulos conforme seu interesse. Há a oferta de títulos com prazos diversos de vencimento e estão subdivididos em: pré-fixados, indexados ao IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo) e à taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia).

É importante observar que não há títulos que proporcionem rendimentos mensais. Há títulos que pagam principal e juros, quando de seu vencimento (NTN-B Principal, LFT e LTN) e os demais que pagam cupom de juros semestrais, inclusive em seu vencimento, quando também é pago o principal (NTN-F e NTN-B).

O investidor que intenta receber fluxos periódicos de recursos pode montar uma carteira com títulos que paguem cupons de juros. Os cupons são pagos de seis em seis meses definidos retrospectivamente, a partir da data de vencimento dos títulos. Desse modo, os títulos que vencem em 1º de janeiro, por exemplo, pagam cupons de juros nos dias 1º de janeiro e 1º de julho entre a data da liquidação e a data de vencimento.

Para diversificar seu portfólio de investimentos, você podria aplicar mensalmente em NTN-B, título que vai garantir seu poder de compra por estar atrelada ao IPCA (Índice de Preço ao Consumidor Amplo), protegendo seus investimentos da inflação do período. Dê preferência a NTN-B principal, que não paga juros semestrais, e que tenha como prazo a data prevista para a sua aposentadoria.

Caso tenha disponibilidade, sugiro reservar de 15% a 20% do sua renda mensal para esse investimento. Hoje é possível ter esse titulo com vencimento em 2019 com rentabilidade de 5,5% ao ano. Porém, esse investimento deve ser realizado pensando somente nesse vencimento, e sem ter necessidade de liquidez. Após atingir seu prazo, sugiro realizar o resgate do seu investimento e aplicar em produtos de renda fixa com alta liquidez.

É importante verificar se a sua instituição financeira cobra taxas inferiores a 0,50% ao ano. Taxas superiores a esse valor são consideradas abusivas e corroem o seu patrimônio. Outra dica importante é usar a calculadora disponível no site do Tesouro Direto para calcular a rentabilidade dos títulos do Tesouro Direto, tributos e taxas.

*Fabiano Pessanha, é gerente comercial da Geração Futuro Corretora de Valores e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner) concedida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF).

Perguntas, críticas e observações em relação a esta resposta? Deixe um comentário abaixo!

Envie suas dúvidas sobre renda fixa e aposentadoria para seudinheiro_exame@abril.com.br.

Vídeo: Qual o maior risco do Tesouro Direto?