Como ganhar dinheiro comprando a dívida de uma empresa

Especialista responde dúvida de internauta e explica como investir em debêntures, títulos de dívidas das empresas

Dúvida do internauta: Ouvir dizer que debêntures também são muito rentáveis, essa informação é verdadeira? Como faço para investir nesse tipo de aplicação?

Resposta de Fabiano Pessanha*: 

No Brasil as debêntures constituem uma das formas mais antigas de captação de recursos por parte das empresas no financiamento de suas operações. Trata-se de um título de dívida, de médio e longo prazo, que confere a seu detentor um direito de crédito contra a companhia emissora, que rende juros que podem estar atrelados, entre outros indexadores, à inflação (IPCA + juros), ao CDI ou às taxas de juros de referência.

Todas as pessoas podem investir em debêntures. Porém, como há variação das características de cada oferta, o valor inicial pode ser bem diferente para cada emissão (normalmente entre 1.000 reais até 300.000 reais).

A possibilidade de render mais que outras aplicações de renda fixa (como CDBs e Fundos DI) e a rentabilidade definida após o prazo estabelecido, são algumas das vantagens deste investimento. Para realizar investimento em debêntures, basta ser cliente de uma corretora de valores que negocie este produto.

Outra vantagem desse investimento que têm despertado o interesse de novos investidores é a isenção IR. Assim como os Fundos de Investimento Imobiliário e os Certificados de Recebíveis Imobiliários, as debêntures podem ter sua emissão seguindo a Lei 12.431, de junho de 2011, que isenta esses investimentos para investidores estrangeiros e pessoa física. 


Diante do cenário apresentado pelo Banco Central do Brasil de seguir com a Selic em um patamar de 7,25%, ratificando sua intenção de mantê-la neste nível por um período prolongado, os investimentos em debêntures com isenção de IR e com bons níveis de rating avaliados pelas empresas classificadores de risco são uma boa alternativa de alocação de recursos dos investidores brasileiros.

Cabe ao investidor analisar cuidadosamente as possibilidades ofertadas à pessoa física e seguir a análise de seu consultor financeiro na escolha dos produtos mais adequados ao seu perfil de investimento e adequação ao risco. E lembre-se que as decisões financeiras realizadas por você hoje impactarão na sua qualidade de vida amanha!

*Fabiano Pessanha, CFP é gerente comercial da Geração Futuro Corretora de Valores e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner) concedida pelo Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF).

Dúvidas, observações ou críticas sobre esta resposta? Deixe um comentário abaixo!

Envie outras dúvidas financeiras para seudinheiro_exame@abril.com.br.