Como economizar com tarifas bancárias

Educador financeiro dá dicas simples para evitar encargos que passam despercebidos na conta bancária

São Paulo – Tapar os ralos por onde escorre o dinheiro pode ser mais fácil do que parece. Segundo o educador financeiro Reinaldo Domingos, do Instituto DSOP, dedicar atenção às tarifas bancárias é um bom começo. Isso porque muitos correntistas acabam ignorando os encargos debitados em conta, ainda que as cobranças sejam feitas de maneira indevida.

“Recomendo fazer uma avaliação semestral ou anual dos serviços bancários para a pesquisa do melhor custo benefício”, aconselha Domingos. Conheça as 10 dicas do educador para cortar os gastos com as tarifas dos bancos.

1. Faça um diagnóstico financeiro e identifique os débitos no extrato bancário registrados nos últimos seis meses.

2. Verifique a taxa mensal cobrada para manutenção da conta corrente e compare com a de outras três instituições financeiras.

3. Negocie esse valor caso tenha aplicação financeira no banco. É possível que você consiga até mesmo zerar o custo de manutenção.

4. Ainda que os valores pareçam modestos, nunca despreze esses custos. No Brasil, 26,5% dos gastos das famílias decorrem de pequenas despesas.

5. Converse com o gerente de sua conta e não tenha medo de solicitar reduções e até mesmo isenções.

6. Qualquer desconto feito sem autorização no seu extrato bancário deverá ser objeto de estorno.

7. Procure não ter mais de uma conta corrente: controlar uma só já é uma tarefa que requer atenção.

8. Prefira os serviços bancários eletrônicos ao uso do talão de cheques. Quando não são grátis, eles geralmente saem mais baratos. 

9. Tenha cuidado com os débitos automáticos. Esta facilidade pode custar muito caro quando há cobrança de valores indevidos. O ressarcimento pode levar meses ou até anos.

10. Dispense o limite do cheque especial. A linha de crédito cobra uma das maiores taxas de juros do mercado e é vista por muitos consumidores como uma extensão do salário ao invés de uma dívida cara.